VERSÃO IMPRESSA

Star Trek: Discovery chega ao fim deixando saldo positivo

01:30 | 16/02/2018
[FOTO1]

Star Trek sempre foi um programa que dificilmente atraiu as pessoas. Apesar de ter mais de 50 anos desde a sua estreia na televisão, mais de 700 episódios e 10 filmes, a série, conhecida no Brasil como Jornada nas Estrelas, nunca teve um voo muito longo na cultura pop, como Star Wars. A maior prova disso são os programas cancelados e as fracas bilheterias dos filmes.


Sabendo disso, o canal fechado CBS, lado a lado com a Netflix, apresentou um produto novo, contemporâneo e, acima de tudo, divertido. A aposta da vez foi Star Trek: Discovery, série que se passa 10 anos antes da original, lançada na TV em 1966. Os capítulos foram para a Netflix às segundas. O último saiu no dia 12.


Isso atraiu novos públicos que nunca assistiram aos outros programas ou filmes. Logo, é uma apresentação de um universo que não se renovava há muito tempo.


A nova aventura acompanha Michael Burnham, primeira protagonista negra do universo de Star Trek, em seu desafortunado encontro com T’Kuvma, guerreiro Klingon que odeia a Federação. Desse cara a cara, nasce um jogo de gato e rato, que leva a uma guerra que dura os 15 episódios.


Desse modo, os roteiros desenvolvem tramas originais e personagens interessantes. A atriz Sonequa Martin-Green, que vive Burnham, por exemplo, surge como uma protagonista necessária. Sua força, integridade e ações instintivas são compreensíveis e altruístas, algo que vai crescendo com o passar dos episódios. Ela é sábia e tem tudo para se tornar uma grande líder no futuro do programa. O restante do elenco também demonstra tamanha competência e determinação em seus papeis, como Jason Isaac e Doug Jones.


No balanço total pode-se dizer que esta primeira temporada foi excelente. Fica a torcida para que a produção mantenha o ritmo. Uma série que discute igualdade, união e paz no universo, em tempos de intolerância, é mais que bem-vinda. A segunda temporada, felizmente, já foi confirmada para 2019.

 

CINCO CURIOSIDADES SOBRE OS INCRÍVEIS


Quatorze anos depois de Os Incríveis, finalmente, a animação tem sua continuação confirmada. Marcado para estrear em junho, o filme, dirigido novamente por Brad Bird, recebeu o seu primeiro trailer na última quarta-feira, 14, que mostra os personagens de volta ao trabalho. Na trama, que continua exatamente no ponto que o primeiro acabou, a família se estabelece como heróis e enfrenta o vilão Escavador. Confira agora cinco curiosidades sobre o filme original, lançado em 2004.


1

É o primeiro filme do estúdio Pixar a ser protagonizado por humanos

 

2

O dublador de Gelado é Samuel L. Jackson, conhecido atualmente como Nick Fury de Os Vingadores

 

3

A personagem Edna Moda foi inspirada em Edith Head, que trabalhou como figurinista em Hollywood

 

4

O diretor dublou a personagem Edna Moda

 

5

Os Incríveis tiveram influência da história de Watchmen e dos poderes do Quarteto Fantástico

 

GABRIEL AMORA

TAGS