VERSÃO IMPRESSA

Caipirinha: o drinque bem brasileiro

Bebida que é a cara do Brasil segue em alta e ganha cada vez mais versões

01:30 | 16/02/2018
[FOTO1]

Cachaça, limão e açúcar. Uma mistura que resulta numa bebida refrescante, geladinha e levemente adocicada. A caipirinha é um drinque genuinamente brasileiro e, segundo alguns registros históricos, estaria celebrando 100 anos de existência em 2018. Sua origem é dividida em duas versões. A primeira é uma acadêmica, segundo a qual a alta sociedade da cultura canavieira, no século XIX, já consumia e considerava o drinque como uma bebida mais sofisticada que uísque e vinho. A outra é uma versão popular, na qual um fazendeiro teria feito uma mistura de mel, alho, álcool e limão para curar um surto de gripe espanhola entre seus escravos.


A suposta efeméride inspirou a jornalista Kelly Costa a escrever o livro Caipirinhas: 60 Dicas Testadas e Aprovadas (Editora Gralha Azul), que traz experimentos da bebida compartilhados no site www.caipirinhaprendada.com.br.


Com o passar do tempo e a criatividade do brasileiro foram sendo feitas algumas adaptações na receita original, tirando o alho, trocando o mel por açúcar e o álcool por cachaça, dando origem à caipirinha como conhecemos hoje. Para finalizar, o gelo foi acrescentado devido às altas temperaturas. A mistura deu certo, afinal, quem resiste a uma caipirinha? Para celebrar a bebida, fizemos um giro pela cidade conhecendo misturas e sabores diferentes do drinque que sempre pode ser a “pedida da vez”.


Entre as combinações certeiras, frutas regionais como seriguela e caju estão entre as mais solicitadas do FabrikBar. “A caipirinha de seriguela faz com que cardápio fique renovado. Todo ano, quando chega o período da fruta, ela volta. Ela já tem aquele apelo do barzinho de tomar uma cachaça e tirar o gosto com seriguela.”, explica Dan Barroso, empresário do local.


Henrique Tapias, gerente do Órbita Blue, comenta que no Ceará o leque de sabores é extenso devido à quantidade de frutas típicas e revela o segredo para se preparar uma boa caipirinha. “Todos os sabores devem ser percebidos. A seleção das frutas também precisa ser bem cuidada. Algumas devem ter uma preocupação com o amargor, como as cítricas. Aconselho tirar as partes brancas do miolo e a lateral da casca. Outra dica importante é que, na hora de macerar, devemos ter cuidado para não agredir muito a fruta. E, para finalizar, ela tem que ser bem batida”, ensina.


Na carta de drinques do restaurante Coco Bambu, Felipe Barreira, sócio da rede, destaca a linha chamada “Caipi Gourmet”. “ As mais apreciadas são as de frutas da época, atualmente de seriguela. As de frutas vermelhas com seu toque exótico também fazem sucesso”, afirma. Servidas em uma quenga de coco, dentre as opções mais exóticas, destacamos a opção Axé (maracujá, pimenta dedo de moça e bebida destilada), Honolulu (morango, abacaxi, toque de limão, gengibre e bebida destilada) e a Caipi Frutas Vermelhas, uma das mais solicitadas.

Rafaella Girão

 

SERVIÇO


COCO BAMBU

Quando: Diariamente, das 11h30min às 0h

Onde: Rua Carlos Vasconcelos 996 - Aldeota

Informações: 3261-1019

MAIS: Delivery, espaço Kids, música ao vivo, aceita todos os cartões

 

FABRIKA BAR 1650

Quando: Qua a Sex, das 17h às 0h/ Sáb das18h às 0h

Onde: Rua Pe. Valdevino, 1650- Aldeota

Informações: (85) 98153.7164
MAIS: Música ao vivo, aceita todos os cartões

 

ÓRBITA BLUE BAR

 

Quando: de terça a domingo, das 9h às 18h

Onde: Av. Clóvis Arrais Maia, 3849 - Praia do Futuro

Informações: (85) 9815-7120

MAIS: Espaço Kids, música ao vivo, aceita todos os cartões

 

PARA HARMONIZAR

 

RECEITA

 

Caipirinha com café


INGREDIENTES

1 limão Tahiti

2 colheres de sopa de açúcar cristal

50 ml de café em pó tradicional – feito no coador

50 ml de cachaça artesanal

Gelo a gosto

PREPARO

O café deve estar frio, portanto, feito um pouco antes de começar a caipirinha.

Antes de adicionar o café ao drink, descasque o limão deixando um pouco da casca. Em seguida, corte em quatro partes e tire o miolo para não correr o risco de amargar a bebida.

Acrescente uma colher de sopa do açúcar e amasse bem para soltar o caldo. Lembre-se que a polpa da fruta deve ficar sempre para cima.

Acrescente a cachaça e mexa bem para misturar o sabor. Depois acrescente gelo em quantidade generosa.

Decore jogando mais alguns grãos sobre o gelo e na borda do copo e coloque uma lamina de limão com grãos de café também. Saúde!

 

PARA LER

 

LIVRO Caipirinhas: 60 Dicas Testadas e Aprovadas. Preço R$65


Caipirinha Prendada


Para comemorar o que alguns historiadores acreditam ser os 100 anos da Caipirinha, a jornalista Kelly Costa lançou o livro Caipirinhas: 60 Dicas Testadas e Aprovadas. A publicação reúne dicas para quem deseja preparar o drinque sem amargar, receitas exóticas, informações sobre a legislação e surgimento dessa mistura brasileira.


VOCÊ SABIA?

 

Outro fato curioso levantado pela autora do livro é que, desde de 2003, a caipirinha é protegida pela legislação brasileira por meio do Decreto nº 6.871, de 2009:

 

“A bebida prevista no caput, com graduação alcoólica de quinze a trinta e seis por cento em volume, a vinte graus Celsius, elaborada com cachaça, limão e açúcar, poderá ser denominada de caipirinha (bebida típica

do Brasil), facultada a adição de água para a padronização da graduação alcoólica e de aditivos”.

Ou seja, “a caipirinha pode sim ter qualquer fruta, desde que não tire o limão. Se tirar o limão, também já não é mais caipirinha”, esclarece Kelly.

 

GABRIELLE ZARANZA

TAGS