VERSÃO IMPRESSA

A foliã

01:30 | 03/02/2018

Frequentadora das festas de pré-carnaval desde 2006, a professora Cícera Barbosa acredita que a solução “nunca deve ser não ter, mas sim buscar espaços maiores para os blocos”. “Foi muito bom ter várias programações em vários polos ao mesmo tempo, opções para todos. A gente brinca que existe uma velha guarda do pré, quando só tinha a João Cordeiro, e todo mundo se conhece. Tenho amigas que são de outros blocos, mas venderam cerveja pra ajudar o Hospício Cultural (bloco do Benfica) a sair, por exemplo. Você quer que o bloco dê certo, faz propaganda. É legal porque ajuda a colocar o bloco na rua de alguma forma. Fazer carnaval é algo cada vez mais popular. Não é só a mão do poder ou do patrocínio, mas são várias mãos. Você se vê no bloco”, celebra a foliã.

GABRIELLE ZARANZA

TAGS