VERSÃO IMPRESSA

Pantone 18-3838 Ultra Violet, a nova cor da moda e do design

Criativa, imaginativa, a Pantone 18-3838 Ultra Violet e suas nuances dão nova visão à moda e ao design de produto. Ela também emite interferência no comportamento

01:30 | 23/01/2018
[FOTO1]

A cor em uma temporada de moda internacional é uma dessas primeiras boas impressões que a indústria criativa se vale, direta ou indiretamente. Desfiles de grifes como Balenciaga, de botas street alongadas, e Gucci, porta-vozes de looks deliciosamente improváveis na cor roxa, formam uma espécie de previsão do futuro, extraída por grandes birôs de tendência. Entre eles, a Pantone Color Institute, que captou a mensagem, quem sabe, galáctica, das passarelas, e elegeu a Ultra Violet como a cor de 2018.


Dando continuidade à escala de tons violáceos, que conta já com a Love Symbol #2, lançada pela Pantone em homenagem ao cantor Prince (1958-2016), a cor nova distribui, ironicamente ou não, cartas em branco à mesa. “É como se essa cor mostrasse uma profecia, o que ainda está por vir, o que seria o futuro, não o que está acontecendo no presente”, comenta Daniele Caldas, consultora em Inovação de Produtos de Moda, levando em consideração o teor exotérico e futurista que a cor expressa.


Ligada à imaginação e à criatividade, a cor Pantone do ano, como a professora de moda da Ateneu, Daniele, torna fácil de entendê-la, nasce de duas outras cores, o vermelho e o azul. “Fala de opostos que se unem e se complementam, gerando uma nova tonalidade, no caso, o roxo”, explica Daniele, que vê na simbologia a principal inspiração com a chegada da família violeta às paletas de cores dos designers. O novo a partir das diferenças faz a expert em inovação lançar um novo olhar sobre a mistura de gêneros, além de instigar, a partir da temática, caminhos novos ao design, seja de moda, seja de produto.


Também ligada ao comportamento, claro, a cor Pantone Ultra Violet volta-se, se não para traçar o presente do agora, urgente, para um momento, acredita Daniele, de autorreflexão. Diante de um histórico de crises econômicas e políticas, no Brasil, mas também no mundo todo, como argumenta a consultora de edições do Inova Moda Fortaleza (do Sebrae e do Senai Ceará), o tom de púrpura irá desencadear em tendências muito relacionadas com a questão do humor.


“As pessoas vão se refugiar em atividades que lhe tragam mais prazer, descontração, alegria, diversão, às vezes, coisas até bobas, banais, como fazer uma simples coleção, visitar museus de assuntos que possam até parecer bobos. Mas vamos procurar um pouco essa fuga, esse escapismo da vida real que já estamos cheios dos assuntos que nos deixam tão atônicos, tão estressados, às vezes. É como se fosse um cansaço dessa realidade em busca de um futuro, do que não sabemos o que é, mas que se projeta dessa maneira”, expõe.


Para Davi Sombra, designer de moda e professor da área de Representação Gráfica em Moda da UFC, a cor, de alcance multidimensional, funciona como um importante motor à cadeia produtiva. “Ela pode realmente causar desejo em um mercado tão necessitado de inovações”, acredita Davi. Apesar de não acreditar que o Greenery tenha tido resultados tão positivos quanto seus antecessores, o professor de design continua ansioso pela aposta sempre da Pantone.


Para além de silhuetas, acessórios e peças home vestidas na cor da vez, a 18-3838 também está por trás, há mais tempo, confirmando a tendência de comportamento com a Ultra Violet, de uma nova interface tecnológica. “Tem a ver com esse novo momento de dinamicidade que vivemos, e como os tons violetas e magentas se comunicam com essa sensação. Vide os logos da Nubank e do Instagram, dois aplicativos que representam muito desses novos desejos por interatividade, quebra de barreiras e inovação”, conta o professor sobre insights.

 

EMMA STONE

TAPETE VERMELHO

A atriz de La La Land: Cantando Estações (2016) entrou em um vestido de bainha Roland Mouret para um banquete da Hollywood Foreign Press Association em 2016.

PRINCESA DIANA

NA REALEZA

Um dos looks mais marcantes usados por Lady Di (1961-1997). Na ocasião do clique, para uma turnê real de Portugal em 1987. Segundo o Today, em 2016, o vestido vendeu em leilão por cerca de US$ 71.000.

 

PRINCE

MARCA REGISTRADA

O compositor de Purple Rain (1958-2016) com sua cor de assinatura (vide jaqueta) para o Academy Awards de 2005. Em agosto passado motivou o lançamento da Love Symbol #2, pela Pantone.

 

JULLY LOURENÇO

TAGS