VERSÃO IMPRESSA

Hip hop norteia roteiros turísticos ao redor do mundo

Presença certa nas paradas de sucesso das rádios, o hip hop virou mote para roteiros turísticos ao redor do mundo

01:30 | 18/01/2018

[FOTO1] 

Surgido no início dos anos 1970 durante a ebulição cultural das comunidades jamaicanas, latinas e afro-americanas de Nova York, o hip hop vai além da música. É também dança, moda, mixagem, arte urbana e comportamento. Uma forma de encarar as ruas e as regras que se estabeleciam nos subúrbios da grande metrópole dos Estados Unidos. Quando as gangues trocaram as armas pelas rimas, o hip hop começou a ganhar o mundo.


Grupos como Public Enemy e Beastie Boys, na segunda metade dos anos 1980, ajudaram a atrair atenções para o gênero, que entrava em sua era de ouro. Cruzaram-se influências da disco music e da eletrônica, do metal e da música pop, e apareceram artistas como Tupac Shakur, Snoop Dogg, Eminem e 50 Cent. Na moda, estilistas como Ralph Lauren e Calvin Klein e marcas como Vans, Nike e Adidas popularizaram o estilo. Artistas como Lee Quiñones, Banksy e Dondi ajudaram a colorir o cinza das cidades.


Em alta desde seu aparecimento, o hip hop está espalhado por paredes, museus e bairros de todo o mundo. O assunto gera tanto interesse que agências de turismo chegam a oferecer roteiros temáticos que contemplam grandes equipamentos dedicados ao gênero. Confira a seguir algumas opções de lugares que os apaixonados pelo hip hop podem conhecer.

 

DE ENCHER OS OLHOS


Grafite brasileiro

São Paulo entrou para o roteiro das artes urbanas por seus muros cheios de interferências de artistas de peso no cenário nacional e internacional do grafite. O Beco do Batman, viela da Vila Madalena, concentra boa parte dessas obras a céu aberto, com murais de criadores como o norte-americano John Howard e os brasileiros Alex Vallauri, Hebert Baglione e Highgraff. Algumas agências de viagem oferecem passeios especializados para pessoas que querem conhecer o cenário de grafites da capital paulista.

 

MAIS INFORMAÇÕES: www.sampaexperienceturismo.com.br

 

QUATRO ELEMENTOS


Um dos principais locais dedicados ao acervo do gênero é o National Museum of Hip Hop, também localizado em Nova York, na 5a Avenida. Fundado em 2006, após mais de uma década de luta da comunidade hip hop, o local organiza suas mostras em torno daqueles que seriam os quatro elementos básicos dessa cultura: o grafite, a mixagem (DJing), a breakdance e o emceeing (estilo vocal dos rappers), e oferece ao público a chance de conhecer uma variada memorabília de itens que cobrem toda a história do movimento.


MAIS INFORMAÇÕES: www.hiphopmuseum.org


TOUR POR NY


A agência Hush Tours, dos EUA, oferece um roteiro de artes, dança e grafite que passa pelos bairros do Bronx, Brooklyn, Harlem e vários pontos de Manhattan, em Nova York. O passeio começa com uma imersão nos bairros onde viveram os pioneiros do hip hop — o trajeto que inspirou o cineasta Baz Luhrmann na criação da série The Get Down —, passa por uma sessão de aulas práticas de breakdance e termina com visitas aos principais murais de grafite da cidade.


MAIS INFORMAÇÕES: www.hushtours.com


PARA QUEM CURTE MÚSICA


Um dos festivais de música mais originais de Portugal, o Jameson Urban Routes é realizado em outubro com uma programação que privilegia os ritmos urbanos e vai do hip hop ao jazz. Criado em 2006, o festival veio crescendo em popularidade e incorporando outros ritmos ao seu line-up, como rock e eletrônica. Na edição do ano passado, o rapper Havoc, que integrou a lendária dupla do hip hop nova-iorquino Mobb Deep, abriu a festa, acompanhado por Big Noyd e DJ L.E.S.


MAIS INFORMAÇÕES: www.jamesonurbanroutes.com


ROTEIRO AFRICANO


A cultura do hip hop viajou pelo mundo e chegou aos outros continentes, certo? Errado. Para alguns estudiosos, a gênese do ritmo nasceu na África e ganhou forma nos Estados Unidos. Em Cape Town, capital da África do Sul, o viajante pode fazer a chamada “rota do hip hop”, visitando lugares onde a cultura aparece de forma viva e expressiva. A agência que promove esse roteiro, especializada em viagens de experiência, leva o turista pelo cinematográfico Spaza Store, um centro comercial informal, e promove o encontro com artistas que representam o estilo.


MAIS INFORMAÇÕES: www.coffeebeansroutes.com


NO FUTURO


Museu universal


Está sendo planejado para 2022 a fundação de um museu oficial do hip hop, no Brox, em Nova York. O Universal Hip Hop Museum deve oferecer uma experiência imersiva no passado e presente do hip hop, passeando por sua presença na música, na dança, na moda, na poesia, na arte urbana e nas imagens que se tornaram icônicas em todo o mundo. Parte do acervo do local poderá ser visitado virtualmente a partir de junho deste ano, quando será disponibilizado gratuitamente um app para Android e iOS.


MAIS INFORMAÇÕES: www.uhhm.org

 

JÁDER SANTANA

TAGS