PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Exposição Scap apresenta Scap reúne obras de grandes artistas

Exposição em cartaz no Centro Cultural Belchior reúne obras de grandes nomes das artes visuais, integrantes da antiga Sociedade Cearense de Artes Plásticas

01:30 | 30/12/2017
A exposição reúne 34 obras de artistas que integraram a Sociedade Cearense de Artes Plásticas (Scap), que existiu entre as décadas de 1940 e 1950, em Fortaleza
A exposição reúne 34 obras de artistas que integraram a Sociedade Cearense de Artes Plásticas (Scap), que existiu entre as décadas de 1940 e 1950, em Fortaleza

Chegando ao Centro Cultural Belchior, inaugurado há sete meses na Praia de Iracema, dois pequenos lances de escada levam o visitante a uma salinha de nome familiar – pelo menos para nós, cearenses: “Pequeno perfil de um cidadão comum”. Na letra escrita pelo cantor e compositor Belchior, contida no disco Era uma vez o homem e seu tempo (1979), o convite certeiro a uma época profícua onde a arte se fez presente e, sobretudo, pensante em Fortaleza.

Scap apresenta Scap, em cartaz até 22 de janeiro, traz à tona a Sociedade Cearense de Artes Plásticas (Scap). Composta por nomes significativos da arte no Estado - não necessariamente nascidos aqui-, a Scap uniu de Raimundo Cela a Aldemir Martins, Estrigas e Nice Firmeza, Antônio Bandeira, Mário Baratta, Zenon Barreto, Sérvulo Esmeraldo, entre outros. Ao todo, 34 obras oferecem um panorama desse momento ímpar, sob a curadoria do também artista plástico Carlos Macêdo.

“Quando nós pensamos na Scap, reportamos a essa instituição que foi fundamental para as artes visuais no Ceará. Fundamental também porque há um imbricamento da história da Scap com o próprio Salão de Abril”, explica Macêdo. A coletiva, de acordo com ele, pode ser apreciada a partir de uma narrativa muito particular. “Optei por um modo que facilitasse a compreensão do artista a partir de sua síntese”, resume.

A curadoria procura evidenciar os artistas presentes, deixando de lado técnicas utilizadas, nomes de obras, dimensões e até mesmo o ano em que foram pintadas. O ser humano sozinho, sem ação, norteia a primeira parte da mostra com telas de Mário Barata, R.

Kampos e Inimá de Paula. “Em Flávio Phebo, por exemplo, você já percebe uma mudança, já há uma ação. Raimundo Cela nos apresenta a gravura em metal e, em Barboza Leite, já percebemos o homem em ação com a natureza”, elucida o curador.

No cantinho da sala, um dos famosos cangaceiros no traço de Aldemir Martins dialoga com as paisagens praianas de Otacílio (pai do memorialista Nirez) e B. Fonseca. Na arquitetura de J. Arraes, o colorido chama a atenção e, logo na sequência, já no final da visita, Garcia, Zenon Barreto, Sérvulo Esmeraldo e Antônio Bandeira “apontam para a construção de uma nova realidade”. Scap apresenta Scap reúne obras que pertencem ao acervo da empresa Urbi Engenharia Ambiental.

 

Serviço

 

Exposição Scap apresenta Scap

Quando: até 22 de janeiro de 2018

Onde: Centro Cultural Belchior (Rua dos Pacajus, 123 – Praia de Iracema)

Horários de visitação: das 10h às 21horas (terça a sexta); e das 15h às 21 horas (sábado e domingo)

Entrada franca

Outras informações: 3105 1358

TERESA MONTEIRO