PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Mostra exibe o trabalho de fotógrafos brasileiros em conflitos

Setenta trabalhos de seis fotógrafos brasileiros que registram confrontos armados em países como Iraque e Afeganistão compõem a exposição Na Linha de Frente, que abre amanhã no Museu da Fotografia

01:30 | 03/10/2017
O paraense Gabriel Chaim registrou imagens de violência e destruição em Alepo, na Síria GABRIEL CHAIN/DIVULGAÇÃO
O paraense Gabriel Chaim registrou imagens de violência e destruição em Alepo, na Síria GABRIEL CHAIN/DIVULGAÇÃO

Quem for a partir de amanhã ao Museu da Fotografia poderá ter um olhar brasileiro sobre os conflitos ao redor do mundo com a mostra Na Linha de Frente. A exposição, que reúne 70 trabalhos de fotojornalistas brasileiros, apresenta registros de duas guerras mundiais, do confronto entre Israel e Palestina e conflitos em locais como Coreia, Irã, Vietnã, Congo, Angola, Líbano e Afeganistão. “Todos os brasileiros que estão dedicados a cobertura de conflitos pelo mundo, exceto a Alice Martins, estão nessa exposição”, comenta o curador Fernando Costa Netto.

Fernando explica ainda que a seleção das obras foi pensada de forma que emocionasse o público e contasse uma história. Dentre os trabalhos estão as de André Liohn, ganhador da medalha Robert Capa Gold em 2011; de Mauricio Lima, um dos vencedores do prêmio Pulitzer 2016; e Gabriel Chaim, que teve suas fotos sobre os conflitos na Síria e no Iraque exibidas durante turnês do U2. Além deles estão presentes Yan Boechat, João Castellano e Felipe Dana. “É um fenômeno bem interessante, porque tem crescido o número de brasileiros indo para áreas de conflitos. O Brasil já teve alguns fotógrafos que foram cobrir guerras, mas era muito reduzido. Agora temos pessoas que investem e dão uma visão independente sobre o assunto”, comenta Yan Boechat, que está presente na exposição com a série Uma Visão Independente, que retrata os conflitos no norte do Iraque, entre o país e o Estado Islâmico.

Registro do brasileiro Felipe Dana, fotógrafo da Associated Press, em conflito no Oriente Médio FELIPE DANA /DIVULGAÇÃO
Registro do brasileiro Felipe Dana, fotógrafo da Associated Press, em conflito no Oriente Médio FELIPE DANA /DIVULGAÇÃO

Para Fernando, é importante pontuar que esses fotógrafos fazem um trabalho desgastante, tanto pelo lado físico quanto emocional, e que a exposição é uma oportunidade de ver o que está acontecendo com “olhos brasileiros”, em uma linguagem que se aproxima da nossa. “É gente que tá arriscando a própria vida para poder transmitir o que acontece lá fora”.

SERVIÇO

 

Exposição Na Linha de Frente

Quando: de 4 de outubro a maio de 2018; de quarta-feira a sábado, das 12h às 17 horas

Onde: Museu da Fotografia Fortaleza (R. Frederico Borges, 545 - Varjota).

Quanto: R$ 10 (inteira)

Telefone: 3017 3661

 

LARISSA PACHECO