PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Mostra apresenta obras e objetos pessoais de Antônio Bandeira

Mostra montada no Palácio da Abolição terá telas, desenhos, guaches, aquarelas e objetos pessoais do pintor cearense morto em 6 de outubro de 1967

00:00 | 05/10/2017
A obra Cidade Noturna é uma das integrantes da exposição que começa amanhã, 6, no Palácio da Abolição DIVULGAÇÃO
A obra Cidade Noturna é uma das integrantes da exposição que começa amanhã, 6, no Palácio da Abolição DIVULGAÇÃO

Era outubro de 1967 quando o Ceará recebeu uma notícia inesperada que deixou em choque os gestores culturais, a classe artística e os apreciadores de arte: Antônio Bandeira, ícone do abstracionismo, morreu em Paris após se submeter a uma cirurgia. O dia 6 ficou marcado como a data na qual o País perdeu um de seus artistas mais notórios, que já acumulava respeito internacional e tinha uma carreira mais que promissora. Amanhã, dia de sua morte, uma exposição será aberta com obras provenientes de coleções particulares.

A mostra será montada na Galeria do Palácio da Abolição e tem promoção do Instituto Antônio Bandeira, gerido por parentes do pintor, e pelo Governo do Estado. Há registros - explica Francisco Bandeira, sobrinho do abstracionista e também artista plástico - apontando que Antônio produziu mais de cinco mil imagens ao longo da carreira. Mais teria sido feito, ele diz, se a morte precoce - aos 45 anos - não tivesse interrompido a produção, os projetos e os pequenos prazeres do pintor.

Além das obras - que se dividem entre telas, desenhos, guaches e aquarelas - a mostra terá objetos pessoais guardados pela família após a morte do pintor. Os itens, explica Francisco sem exemplificar quais são os objetos - foram retirados do ateliê do artista em Paris logo após sua morte e trazidos ao Brasil.

Do crepúsculo ao noturno por Antônio Bandeira é o título da exposição que fará um passeio por obras do abstracionista guardadas em coleções particulares. A visitação, que é gratuita, poderá ser feita até 6 de novembro em horário comercial. Além de Francisco, a curadoria é executada pelo estudioso Carlos Macedo. “A proposta é resgatar e mostrar. Pois o que está guardado precisa ser exibido aos cearenses também”, aponta Francisco Bandeira.

Essa exibição de “tesouros” do artista plástico é uma das missões do Instituto Antônio Bandeira. Com base em Fortaleza, a instituição realiza catalogação e acompanhamento das obras do abstracionista cearense. “Nós queremos cuidar do legado deixado por ele”, explica Nilson Bandeira, sobrinho do pintor e presidente do Instituto.

“Temos bancos de imagens, documentos, vastos materiais e aprofundamentos disponíveis. É de fundamental importância para nós que sejam publicados mais livros, mais ensaios, mais textos acadêmicos e materiais didáticos que falem sobre Bandeira e expliquem quem ele foi”, aponta Francisco Bandeira, reforçando que o instituto está aberto para o público e para os pesquisadores de arte que desejam saber sobre produção, vida e obra de Antônio Bandeira. 

Isabel Costa

 

 

ANTÔNIO BANDEIRA 50 Amanhã, 6, O POVO encarta em sua edição um caderno especial de oito páginas sobre o pintor cearense, em homenagem aos 50 anos de sua morte. Os textos têm relatos sobre a notoriedade do abstracionista, sobre sua paixão pelo Ceará e sobre o papel fundamental dele na criação do Museu de Arte da UFC (Mauc-UFC), instituição que atualmente dedica uma sala inteira a Antônio Bandeira. O material discute, ainda, a produção literária pouco conhecida do artista plástico e a presença dele no mercado internacional. O caderno se complementa com um especial digital e um documentário publicados no O POVO online, também amanhã. O material completo poderá ser conferido em especiais.com.br/

antoniobandeira

 

SERVIÇO

 

Exposição Do crepúsculo ao noturno por Antônio Bandeira

Abertura: sexta-feira, 6, às 19h

Visitação: até 6 de novembro, segunda-feira, em horário comercial

Onde: Galeria do Palácio da Abolição (avenida Barão de Studart, 500 - Meireles)

Entrada gratuita

Instituto Antônio Bandeira

Realiza catalogação, certificação, preservação e publicação sobre a obra do pintor cearense

Informações: no site institutoantoniobandeira.com.br ou através do email institutoantoniobandeira@gmail.com