PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Exposição Under the Skin, com trabalho de Jasmin Walsh, é aberta

01:30 | 04/10/2017
Pacientes foram pintados por Jasmin Walsh e fotografados por Cival Júnior. Resultado pode ser conferido em exposição e em livro CIVAL JÚNIOR/DIVULGAÇÃO
Pacientes foram pintados por Jasmin Walsh e fotografados por Cival Júnior. Resultado pode ser conferido em exposição e em livro CIVAL JÚNIOR/DIVULGAÇÃO

Pacientes atendidos pelo Instituto de Apoio ao Queimado (IAQ) foram convidados a terem o corpo pintado pelas mãos da artista carioca, radicada na Inglaterra, Jasmin Walsh. O resultado do trabalho pode ser conferido na exposição Under the Skin, em cartaz de hoje, 4, até o domingo, 15 de outubro no Shopping Iguatemi. O evento tem apoio da agência Bolero Comunicação.

A mostra traz fotos feitas com seis pacientes do IAQ, adultos e crianças, com queimaduras de diferentes causas, entre acidentes e violência doméstica. “É um projeto para valorizar a vida, tirar da tragédia um lado artístico, além de dar autoestima aos pacientes”, diz Márcia Távora, gestora do IAQ, que acompanhou a produção do projeto.

Após conhecer os pacientes por meio de questionários, a artista produziu a pintura de acordo com a história de cada um, “com a intenção de que eles renascessem”. A selecionadora de amêndoas de caju Cilene Leite foi uma das modelos do ensaio. Paciente do IAQ há dois meses, ela diz que ficou surpresa ao se ver no espelho, pois não sabia do que estava sendo pintada. “Ver meu corpo todo coberto de um jarro de flores foi uma sensação muito legal. As flores foram escolhidas porque eu sou uma pessoa alegre, o colorido tem muito a ver comigo”, conta.

A emoção dos pacientes foi capturada pelo fotógrafo cearense Cival Júnior. Segundo ele, não foi fácil fazer o ensaio, por perceber a vergonha que os modelos tinham do corpo. “Tive que pegar confiança, conversar, brincar, entrar na alma deles. Durante o trabalho, senti algo totalmente diferente de qualquer foto que eu já tirei na minha vida”.

Cerca de 70 fotos do projeto foram reunidas em um livro à venda durante a exposição. O valor arrecadado será destinado à pesquisa do uso da pele de tilápia como tratamento para pacientes com queimaduras, a fim de minimizar a dor e acelerar o processo de cicatrização das lesões.

Coquetel de lançamento da exposição acontece na noite de hoje. Haverá show do cantor cearense Marcos Lessa e os pacientes fotografados vão autografar livros. A artista visual Jasmin e o fotógrafo Cival também estarão presentes na cerimônia.

Luan Carvalho/Especial para O POVO

SERVIÇO

 

Exposição Under the Skin

Quando: 4 a 15 de outubro, das 10h às 22 horas

Onde: Praça em frente a loja Centauro, no Shopping Iguatemi (Av. Washington Soares 85)

Entrada gratuita

Valor do livro: R$ 50

 

SAIBA MAIS

O estudo dos efeitos da pele de tilápia em tratamento de pacientes com queimaduras mostra que o novo método é menos doloroso e mais rápido, além de reduzir em até 57,48% os custos ambulatoriais na recuperação dos pacientes. Segundo o médico Edmar Maciel Lima, que coordena o projeto, a pesquisa encontra-se na fase clínica 3, último passo para registrar o produto na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A previsão é que os últimos estudos sejam concluídos até março de 2018, para então iniciar a comercialização da pele.

A pesquisa foi desenvolvida pelo Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM), da Universidade Federal do Ceará (UFC), em parceria com o Instituto de Apoio ao Queimado (IAQ) e o Instituto Doutor José Frota (IJF)