PUBLICIDADE
Jornal

Projeto destaca ações artísticas realizadas no Serviluz

14/09/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Presente na bandeira do Ceará e símbolo de Fortaleza, o antigo Farol do Mucuripe, no bairro Serviluz, segue resistindo mesmo sem o apoio concreto do poder público. Para comprovar a potência da construção e do bairro, o Farol recebe amanhã, 15, às 18 horas, o evento Nossas ruas com artes, parceria entre o Coletivo AudioVisual, a Associação de Moradores do Titanzinho e o Laboratório Artes e Micropolíticas Urbanas, da Universidade Federal do Ceará (UFC). “O Farol é um patrimônio histórico e cultural da Cidade, mas está abandonado. Os jovens do bairro, porém, ocupam, fazem festas, limpam o local, tudo por iniciativa deles”, destaca Deisimer Gorczevski, professora do Programa de Pós-Graduação em Artes da UFC. “Muita gente, principalmente quem não mora ou não conhece (o Serviluz), vê o Farol, até o bairro, como um lugar esquecido. O que acontece é que os jovens têm cuidado dele, intervindo com arte, tentando enfrentar as dificuldades diárias com um pouco mais de leveza”, dialoga Fabíola Gomes, estudante de Cinema da UFC e moradora do Serviluz.


“Os jovens querem espaços para se encontrar. A arte é uma das possibilidades de encontro, de afetar e ser afetado, se entender como cidadão”, reflete Deisimer, que completa: “O bairro vem crescendo na produção audiovisual. Nesse processo, se criou o Coletivo AudioVisual do Titanzinho e, em seguida, o Cineclube Ser Ver Luz. Observamos o aumento da presença e envolvimento dos moradores nas sessões realizadas nas ruas, praças e no Farol do Mucuripe”, contextualiza a professora.


A partir de mostras promovidas pelo Cineclube entre 2015 e 2016, surgiu o livro-catálogo Nossas ruas com cinema, que será lançado na ocasião. Composto por 10 seções (entre elas, por exemplo, Direito à Cidade, Arte e Natureza e Afeto e Amizade), a obra conta ainda com textos escritos por convidados. O evento terá também mais dois lançamentos. O livro Arte que inventa afetos, lançado em 2015 em versão digital, chega à versão impressa, que deve ser distribuída no bairro. Por fim, há o Mapa Afetivo das Artes do Serviluz. “Ele foi feito com jovens do bairro, principalmente do Coletivo AudioVisual e do Servilost, com inspiração na xilogravura e trazendo as ações em arte realizadas com o bairro. O cinema é muito forte, a arte urbana também foi mapeada, o teatro com o grupo Dito & Feito”, elenca Deisimer. “O mapeamento da música e da dança ainda não foi realizado, mas o mapa não está terminado, ele funciona como um dispositivo para que as outras linguagens também sejam cartografadas”, explica Deisimer.


O evento terá, ainda, música com a banda Éter na Mente e MC Quedão, teatro com o grupo Dito&Feito, a intervenção Farol OcupAções, de Emília Schramm em colaboração com o Coletivo AudioVisual, exibição de filmes e grafite do Servilost. “O modo que a Cidade se relaciona com o bairro e vice-versa ainda é muito limitado. Nosso desejo é fazer Fortaleza sensível ao Serviluz observando e fortalecendo a arte de/com o bairro. Nós entendemos e afirmamos que há diferenças nos modos de criar e conviver com as artes na Cidade e queremos potencializá-las no sentido da multiplicidade que Fortaleza apresenta”, afirma Deisimer. “O evento acontece com a colaboração de vários coletivos, apoiadores, parceiros de outros lugares de Fortaleza. É massa ver a união do pessoal para fazer um evento assim acontecer no Farol, que já vem sendo ocupado. São percepções de uma potência incrível que alimentam antigos e disparam novos desejos de uma vida melhor em comunidade”, reflete Fabíola.

João Gabriel Tréz

 

 

SERVIÇO

 

Nossas ruas com artes

Quando: amanhã, 15, às 18 horas

Onde: Farol do Mucuripe

Entrada franca.

Adriano Nogueira

TAGS