PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

A galeria Sem Título Arte celebra seu primeiro ano com programação

A galeria Sem Título Arte celebra seu primeiro ano com atividades de formação, exposições e uma festa em colaboração com diversos artistas

01:30 | 30/08/2017
Série Orgânicos, da artista paraense Luciana Magno, é uma das atrações das comemorações de um ano da galeria. Fotos tratam do mimetismo entre elementos da natureza e paisagem DIVULGAÇÃO
Série Orgânicos, da artista paraense Luciana Magno, é uma das atrações das comemorações de um ano da galeria. Fotos tratam do mimetismo entre elementos da natureza e paisagem DIVULGAÇÃO

Há quase um ano a Galeria Sem Título abria as portas. De lá para cá, entre exposições e formações artísticas, o local veio cumprindo o seu papel de “ser um espaço para a arte contemporânea na Cidade”, avalia Jacqueline Medeiros, que dirige a galeria ao lado de Elizabeth Guabiraba. “Conseguimos reunir um time bom de parceiros, artistas, professores, curadores e um público diversificado, que vem frequentando a Sem Título também nos cursos”, emenda Jacqueline.

A professora Beatriz Furtado foi a curadora de uma das últimas exposições do local, a Embaralhando os Planos, baseada na obra do cineasta Leonardo Mouramateus. Para ela, a Sem Título compõe um projeto de criar espaços na cidade onde os admiradores da arte “podem se fortalecer nesse momento de crise na política cultural. Eu acho que, sobretudo, esse é um lugar de resistência”, completa a professora.

&nsbp;

Para celebrar o primeiro ano de atividades, a galeria promove um mês de atividades que começa hoje. Abrindo a programação, o professor e curador Marcelo Campos lança o livro Escultura Contemporânea no Brasil – reflexões em dez percursos, que avalia a transformação da escultura brasileira nas últimas décadas. Há ainda a exposição da série Orgânicos, da artista paraense Luciana Magno. São fotografias que mimetiza elementos da natureza na paisagem. “Queremos apresentar na Cidade essa arte contemporânea, sobretudo dos anos 90 para cá. Temos artistas consolidados e outros jovens, como a Luciana”, comenta Jacqueline.

“Eu acho que a Sem Título faz um papel importante no sentido de movimentar, porque eles têm feito um trabalho inclusive de palestras gratuitas abertas ao público. Não tem um foco tão pensado na venda. É uma relação muito gostosa e eu fico honrada em expor por lá”, conta Luciana.

O professor Marcelo Campos lança o livro Escultura Contemporânea no Brasil - reflexões em dez percursos
O professor Marcelo Campos lança o livro Escultura Contemporânea no Brasil - reflexões em dez percursos

A programação vai até 30 de setembro, quando se encerra com uma festa. Durante esses dias há encontro com com os artistas Milena Travassos e Frederico Benevides, outras exposições e cursos.

 

SERVIÇO

 

Um ano da Sem Título Arte

Quando: a partir de hoje, 30, às 19 horas

Onde: Sem Título (Rua João Carvalho, 66 - Aldeota).

Entrada franca.

Outras informações: 98881 8261 / 99925 9825

SAIBA MAIS

Além das exposições

A galeria iniciou seus trabalhos em 23 de setembro do ano passado com a exposição Em Desalinho, com obras de dez artistas contemporâneos brasileiros.

 

Em junho de 2017, o espaço lançou um selo editorial para a publicação de títulos segmentados, começando com o registro da exposição do artista Solon Ribeiro. A galeria já ofereceu também cursos e oficinas. Entre eles, um de arte contemporânea para crianças.

 

LARISSA PACHECO