PUBLICIDADE
Jornal

Joca Andrade e Ghil Brandão encenam a peça Os Tamboretes

Inspirados na obra de Ionesco, Joca Andrade e Ghil Brandão encenam a peça Os Tamboretes

07/07/2017 01:30:00
NULL
NULL

Raimunda e Benzinho, casal que vive junto há 139 anos, habitam o alto de um prédio de uma Fortaleza despedaçada. Nesse lugar, que já fora uma aldeia boa de se viver, os dois resolvem promover uma conferência para discutir %u201Cassuntos emergenciais%u201D daquele tempo que é passado-presente ou, quem sabe, um futuro apocalíptico. Assim é Os Tamboretes, espetáculos dos atores Joca Andrade e Ghil Brandão, veteranos das artes cênicas na Capital. A peça faz temporada no Sesc Iracema aos sábados, às 20 horas, e aos domingos, às 19 horas, até o dia 23 de julho.

A dramaturgia, assinada pelos atores, surgiu a partir da obra As Cadeiras, de Eugène Ionesco, numa adaptação que descola da Europa da primeira metade do século XX para um Ceará atemporal. %u201CO Ionesco, com o Teatro do Absurdo, propõe essa amplificação de tudo e a realidade é distorcida para ser levada para esse lugar do estanho. A gente faz um paralelo com As cadeiras e traz para uma realidade mais tropical, nordestina, que é também universal%u201D, aponta Joca.

Em cena, os atores dão vida aos personagens, mas também se colocam enquanto artistas. %u201CAs urgências da Raimunda e do Benzinho têm correspondências com nossas questões, sobretudo do ponto de vista político e social. As falas dos personagens são também nossa perspectiva de contestação%u201D, reitera Ghil.

Dentro da trama, a conferência é palco para personagens da ficção inspirados em nomes da política, como Marta Suplicy e Gilmar Mendes. %u201CA gente faz essa distorção com referências de forma tangenciada para falar dos nossos fatos históricos%u201D, detalha Joca.

Apesar do evidente tom de contestação, a história é contada de modo leve, entre o deboche e o desespero. %u201CA gente tem essa inspiração no palhaço e pega esses arquétipos para contar uma história que possibilite um humor mais irônico, mais ácido. É uma reflexão lúdica, estamos brincando de ser sério%u201D, completa Joca, detalhando que a história da peça segue sendo atualizada desde maio de 2016, quando o espetáculo chegou ao público pela primeira vez.

 

SERVIÇO

 

Os Tamboretes

Quando: sábados, às 20h e domingo, às 19h, até dia 23/07

Onde: Sesc Iracema (rua Bóris, 90)

Quanto: R$ 6 (inteira)

 

TAGS