PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Faroeste Onde Nascem Os Bravos tem pré-estreia hoje no Benfica

Gravado em Quixeramobim, Onde Nascem os Bravos , de Daniell Abrew, foi produzido de forma colaborativa entre atores e produção

01:30 | 29/07/2017
O longa dá início à Trilogia dos Bravos, que segue em 2019 com Como Vivem os Bravos e em 2021 com Quando Morrem os Bravos DIVULGAÇÃO
O longa dá início à Trilogia dos Bravos, que segue em 2019 com Como Vivem os Bravos e em 2021 com Quando Morrem os Bravos DIVULGAÇÃO

Em meio ao cenário inóspito do sertão, bravura e covardia são o pano de fundo para as histórias do cangaceiro Alfinete e do ex-soldado Mumbaca, que se entrelaçam após uma tragédia. No filme de faroeste Onde nascem os bravos, do diretor Daniell Abrew, os limites morais da vingança são retratados por meio da batalha particular travada pelos protagonistas.

A obra, que tem sua pré-estreia hoje no Shopping Benfica, começou a ser planejada no final de 2014 e nasceu do desejo de Teresa Reine, avó de Daniell, que já atuou em alguns de seus filmes. “Ela estava doente e não queria conversar outro assunto senão a produção de um filme de cowboy no estilo John Ford”, diz o diretor.

O longa é totalmente sem diálogos. Segundo Daniell, essa ideia aconteceu naturalmente no decorrer das gravações. “Nós tínhamos aquele cronograma diário, mas nos deixávamos levar pelo que acontecia no dia. Fomos gravando e os diálogos não iam surgindo, então ficou assim”, lembra.

&nsbp;

Esse é primeiro filme da Trilogia dos Bravos. Os próximos títulos são Como vivem os bravos, que deve começar a ser gravado no final de 2017, e Quando morrem os bravos. As produções devem ser lançadas em 2019 e 2021 respectivamente. “Já vínhamos conversando sobre fazer uma trilogia, então casou. Vamos abordar o onde, como e quando, e o nascer, viver e morrer”, explica o diretor.

Daniell iniciou sua trajetória no cinema aos 7 anos, com trabalhos que envolviam primos e amigos. O diretor já produziu mais de 15 filmes e a grande maioria é de baixo orçamento. Um exemplo é o filme de ficção científica Centopeia, lançado em 2008, e que custou R$ 300. Onde nascem os bravos foi todo produzido sem apoio de leis de incentivo, editais ou patrocínio. “Foi tudo de forma colaborativa com atores, produção. A gente sabe que tem os editais, mas acontecem muitos problemas e resolvemos não esperar”, completa Daniell.

O longa foi gravado na fazenda Pinhão, em Quixeramobim, que era do avô de Daniell, durante o Carnaval de 2015. Ele, além de diretor, também dá vida a Mumbaca. Como a história retrata ainda os limites da sobrevivência no sertão, passando pelas intempéries da natureza, ele e Camilo Vidal, que faz o papel de Alfinete, passaram os dias de gravação sem tomar banho. “Gravamos de maneira linear cronologicamente. Então, a cada dia que passava, ia acumulando poeira no corpo, marcas. Então íamos deixando isso gravado no corpo”, comenta o diretor.

SERVIÇO

 

Pré-estreia “Onde nascem os bravos”

Quando: hoje, 29, às 10 horas

Onde: Shopping Benfica (Av. Carapinima, 2200)

Entrada franca.

Telefone: 3243 1000

 

LARISSA PACHECO