PUBLICIDADE
Jornal

Espetáculo Vagabundos volta em temporada no Sesc Iracema

Mesmo sem cachê, coletivo artístico reestreia espetáculo Vagabundos, sucesso de público e crítica surgido durante as manifestações de 2013. Mescla de teatro e dança, obra cênica faz temporada no Sesc Iracema

10/06/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Em apresentação durante a programação da última Bienal Internacional de Dança do Ceará, a diretora Andréia Pires teve de lidar com a fúria de uma espectadora. “Ela pediu meu número de RG e CPF, e disse que ia abrir um processo contra a gente, porque Vagabundos não era arte. Num primeiro momento, eu pensava que era uma atriz, mas depois vi que ela estava falando sério”, lembra a artista, contando que a mulher desistiu de levar a ação adiante. Esse mesmo espetáculo, surgido em 2013 durante as manifestações contrárias à Copa do Mundo no País, reuniu pequenas multidões em temporada no Teatro Universitário, no Benfica. A sala nem comportava o tanto de gente interessada. Entre reações de raiva e paixão, o fato é que Vagabundos conseguiu projeção local e nacional. Mescla de performance, dança e teatro, a obra cênica volta agora em temporada no Sesc Iracema aos domingos de junho.

[SAIBAMAIS]

“Mais do que discutir se é arte ou não, o importante é o que (o espetáculo) gera nas pessoas quando elas assistem”, avança Andréia, que pontua a simplicidade da obra. Nascida dentro de uma disciplina do curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal do Ceará há quatro anos, a peça, desde então, vem ganhando vida para além dos muros institucionais. Em cena, 24 artistas provocadores e muitas narrativas que se cruzam. Sob o ponto de vista da multidão, o espetáculo desfia cenas que se conectam com o presente, a partir de “starts” como o momento político atual.


Justamente por essa ligação com o que acontece no Brasil de hoje, o coletivo de artistas quis se reunir novamente em meio à crise política que a cada dia se agrava no País. “Essa peça é como um manifesto do que a gente vive politicamente. A situação hoje é muito brutal”, aponta a diretora. Pela urgência de devolver Vagabundos aos palcos, o grupo teve de assumir a temporada na cara e na coragem. “É uma peça que precisa de dinheiro, tem muitos elementos cênicos, tem frete para pagar, mas, mesmo sem cachê, a gente vai fazer a temporada”, aponta. As apresentações são gratuitas — com passagem de “chapéu” para tentar ajudar nos gastos.


“A gente pega esse nome, vagabundo, que é visto como uma coisa ruim e traz para o lado do verbo vagabundear, que fala sobre trilhar por caminhos opostos, nadar contra a maré”, conceitua Michell Barros, ator e produtor do espetáculo. Para ele, que acompanha a peça desde o início, a montagem se torna ainda mais potente por ser uma obra aberta. “Vagabundos fala de uma multidão de pessoas que estão se reinventando e, por isso, sempre muda. A cada apresentação, tem várias coisas diferentes. Tem gente manifestando nas ruas e a gente faz isso no palco”, completa.


Nos últimos anos, o espetáculo tem conseguido circular em festivais pelo Nordeste e já foi também apresentado em Belo Horizonte. Na Capital, lotou espaços como o Cineteatro São Luiz e o Theatro José de Alencar. “O espetáculo tem uma importância muito grande para a gente e já se tornou muito importante para a Cidade”, convida Michell.


SERVIÇO

 

Espetáculo Vagabundos

Quando: domingos de junho, às 19 horas

Onde: Sesc Iracema (R. Bóris, 90 - Praia de Iracema)

Programação gratuita

Telefone: 3252.3435

 

TAGS