PUBLICIDADE
Jornal

Secult lança hoje programa Ceará Filmes

Programa da Secult organiza e amplia ações de fomento ao audiovisual no Estado para fortalecer o setor

09/05/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Articular e integrar para fortalecer. É a partir desse norte que a Secretaria da Cultura do Ceará (Secult) lança hoje, às 19 horas, na Sala 2 do Cinema do Dragão, o programa Ceará Filmes, de desenvolvimento do audiovisual e da arte e cultura digital. Entre os presentes no lançamento estarão o secretário da Cultura, Fabiano Piúba, do governador Camilo Santana (PT), o diretor do Instituto Dragão do Mar, Paulo Linhares, e o presidente da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Manoel Rangel.


A partir de sete eixos, cada um deles relacionado a uma das etapas da produção audiovisual (produção, distribuição, exibição, preservação, formação, rede institucional e legislação), as ações já existentes voltadas para a área, como o Edital de Cinema e Vídeo, irão se articular a novos projetos do programa. “O Ceará Filmes busca trabalhar em todos os eixos que compõem a cadeia do setor audiovisual. A ideia é unir as ações já em curso e introduzir novas ações que são demandas históricas do audiovisual cearense”, adianta Duarte Dias, coordenador de política audiovisual da Secult. Entre as novidades, ele destaca a criação da Programadora Ceará e da Distribuidora Dragão do Mar, para auxiliar na distribuição da produção cearense; e a criação da “maior rede pública de cinemas do Brasil”, através da construção de 20 salas de cinema no interior do Estado.


De acordo com Fabiano Píúba, o programa passou a ser mais concretamente discutido a partir do diagnóstico das ações atuais. “Havia uma série de ações para o setor que estavam desconectadas, e ainda tinham discussões acumuladas dentro dos fóruns de debate. Havia a necessidade de se pensar uma política, não apenas um edital”, resume. A participação dos atores envolvidos na cadeia produtiva é vista como essencial pela Secult. “O programa surge do diálogo entre o governo e a sociedade civil organizada, sendo um marco da construção coletiva do meio cultural, a ser aprofundada e continuada”, pontua Duarte Dias.


O processo de “construção conjunta” terá nos Grupos de Trabalho (GTs) o lugar para discussão e aprofundamento de demandas e questões. Cada um dos sete eixos será discutido nos GTs, para, então, se estabelecerem prazos e ações. “Na sequência do lançamento, vamos chamar agentes que atuam em cada eixo para constituir os GTs, aprofundando as questões, avançando nas execuções e estabelecendo prazos e calendários”, afirma. “Lançamos hoje, mas ele passa por um processo contínuo de construção”, condensa Fabiano.


Wolney Oliveira, cineasta e diretor da Casa Amarela Eusélio Oliveira, lembra que um projeto como o Ceará Filmes sempre foi almejado pelos membros da Câmara Setorial do Audiovisual, ligada à Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece). “Um projeto assim, como São Paulo e o Rio de Janeiro tem (SPCine e Rio Filmes, respectivamente) sempre foi um sonho e uma luta da Câmara. É um grande avanço. Fortalecer o audiovisual é uma maneira de mexer com toda a cultura”, defende Wolney. Tirando Rio e São Paulo, o que existem são projetos como ‘Bahia Filmes’, ‘Minas Filmes’. Mas o Ceará está partindo na frente, e isso é muito bom”, comemora.

 

Expectativa

Marcos Tardin, diretor geral da TV O POVO, adianta que também deve entrar na pauta do evento a iniciativa do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Audiovisual Brasileiro 02 (Prodav 02), voltado para TVs públicas. O programa consiste na abertura de chamada pública para produtores independentes criarem conteúdos para serem veiculados nestes canais. Segundo o diretor, a emissora é pioneira no Nordeste dentro deste programa. “Desde o ano passado, a TV O POVO fez uma consulta prévia junto à Ancine para promover essa chamada pública. A Ancine avaliou a proposta, sugeriu algumas mudanças, e agora vamos poder abrir essa chamada”, explica. Além da TV O POVO, a estatal TVC também deve participar do programa.

 

João Gabriel Tréz

TAGS