PUBLICIDADE
Jornal

Marcelo Farias Costa lança dois livros sobre o teatro cearense

O diretor e ator Marcelo Farias Costa lança hoje dois livros que recontam a história do teatro cearense. Evento tem ainda estreia da peça A Prima Donna

20/05/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

As artes cênicas habitam o território do efêmero. Se o cinema deixa o filme para a posteridade e a música se estabelece a partir de álbuns gravados, quando o assunto é teatro, a apresentação termina quando o pano cai – por mais que haja alguma gravação audiovisual de um espetáculo, o que já configura outra linguagem artística. A partir do desejo de documentar e dar mais perenidade ao que aconteceu nos nossos palcos ao longo dos anos, o cearense Marcelo Farias Costa iniciou, aos 24 anos, um esforço de documentar a produção teatral do Estado desde seus primórdios. Hoje, aos 69, o ator, diretor e pesquisador lança os livros História do Teatro Cearense e Quem é quem no Teatro Cearense. O evento acontece neste sábado, às 19 horas, no Teatro Ibeu.

[FOTO2]

“Eu fui cavar do zero sobre a história do teatro, porque não tinha nada. Aí eu fui procurando, aprofundando, analisando, refletindo”, explica Marcelo sobre o início da pesquisa. As publicações que chegam hoje ao público são desdobramentos da primeira edição dessa historiografia que foi lançada por ele ainda em 1972. Passados 45 anos, a pesquisa foi atualizada e revisada. “Quando eu comecei essa pesquisa, não tinha a menor credibilidade. Passei, no começo, dois anos pesquisando e muitas pessoas se negaram a ajudar. Para essa segunda edição do História do Teatro Cearense, eu fui juntando recorte de jornal, tinha mais acesso às informações”, conta. O jornal O POVO, ele ressalta, foi importante aliado nesse processo de documentação.

[FOTO3]

As pesquisas levaram o autor ao ano de 1830, quando foi inaugurado o Concórdia, que era chamado à época de Casa de Ópera. O espaço aberto no Centro, na esquina da rua General Bizerril com Guilherme Rocha é considerado o marco inicial do teatro cearense profissional. A publicação parte daí e vai avançando, costurando Capital e Interior, até chegar ao ano de 2005. São 724 páginas de história. Já a livro Quem é quem no Teatro Cearense traz um grande catálogo com o nome dos atores, diretores, dramaturgos, figurinistas, sonoplastas, cenógrafos e outros profissionais que marcaram a cena do Estado. São mais de 500 nomes reunidos.


“Isso não é só uma pesquisa que foi escrita, mas uma história que eu vivenciei. Eu não apenas escrevi a história, mas fiz parte”, celebra o teatrólogo, que comemora 54 anos de artes cênicas. Durante mais de 30 anos, ele trabalhou no teatro do Ibeu, espaço que hoje leva o nome de Teatro Marcelo Costa. Na noite de hoje, o local será também palco da estreia do espetáculo A Prima Donna, dirigido por ele, a partir de texto do autor fluminense José Maria Monteiro. A peça fará temporada aos sábados de junho, sempre às 19 horas, no Teatro Antonieta Noronha.


Olhando para o passado, Marcelo lamenta algumas situações vividas no presente. “Temos uma história bonita ao ponto de ser contada. Agora o presente não é exatamente cor-de-rosa”, critica o teatrólogo, apontando que as produções cearenses têm vivido baixas. “A coisa é cíclica, vai e volta, as pessoas ficam esperando por edital, o público vai diminuindo, os locais de apresentação são poucos. Não tem pauta, divulgação. Atualmente eu sou um sem palco”, lamenta.


Apesar dos problemas, para Marcelo, é importante que, cada vez mais, pesquisadores teatrais se disponham a traçar essa historiografia. “No futuro, as pessoas não vão poder ver as peças que estão sendo feitas, mas o livro fica, o documento”, finaliza.

 

SERVIÇO

 

Noite para celebrar a história do teatro cearense

Quando: hoje, às 19 horas

Onde: Teatro Ibeu Marcelo Costa (rua Nogueira Acioli, 891 – Centro)

Quanto: R$ 50 (cada livro) e entrada de R$10 (inteira) para quem não adquirir o livro

Telefone: 99907 9954
 

TAGS