VERSÃO IMPRESSA

Uma Fortaleza para cada dia

O POVO preparou série especial em comemoração aos 291 anos da Capital, celebrados na próxima quinta, 13. O projeto inclui uma websérie que traz, em sua trilha, as vozes e os acordes de artistas cearenses. E são esses artistas que respondem à seguinte pergunta: Qual a Fortaleza que te inspira?

01:30 | 10/04/2017

As Fortalezas de Dionizio, Marina Helena, Marli, Claudia e Renato são bem diferentes. Mas existem instantes em que elas convergem, momentos que se transformam em pontos de intersecção. O especial Fortaleza 291, lançado hoje pelo O POVO, traz a websérie Fortaleza de Todos os Dias com cinco episódios que descortinam estas vivências tão singulares de uma cidade tão plural. Cada dia da semana, um personagem. E cada personagem, uma rotina.


Segundo o jornalista Émerson Maranhão, editor de conteúdo do Núcleo de Audiovisual do O POVO, a websérie transforma este caleidoscópio de vivências em audiovisual. “A gente optou por, através da relação das muitas Fortalezas que existem na Capital, abordar esta multiplicidade”, explica.


A multiplicidade também se espelha na cena contemporânea musical de Fortaleza. Para isto, seis convidados fazem a trilha sonora do projeto: Maurício Rodrigues, Lorena Nunes, It Girl, Astronauta Marinho, Projeto Rivera e Gustavo Portela. Em cada episódio, uma trilha sonora costura as vivências e os depoimentos dos personagens.


Uma das músicas é autoria de Maurício, que criou uma composição especialmente para este projeto, sendo o tema original da websérie. Intitulada Fortaleza, a música permeia a abertura e o encerramento de cada episódio. Para Maurício, a Fortaleza que o inspira está na arte. “É a Fortaleza da arte de rua, da arte da periferia, da arte do graffite. É o movimento das quadrilhas juninas, o movimento do bumba meu boi, das danças praieiras”. A seguir, a Fortaleza que inspira outros participantes da trilha sonora do projeto.


O POVO online


Confira o projeto Fortaleza 291 no link

especiais.opovo.com.br/fortaleza291

 

 

[FOTO1] 

PROJETO RIVERA

Fortaleza é nosso lar, nossa canção e nossa inspiração. Ser criado e batizado pelas águas das praias daqui, nos faz felizes e abençoados. Cada dia um acorde diferente ou uma palavra de aconchego, e é assim que nós nos acostumamos a viver aqui. Parabéns Fortaleza!

 

[FOTO2]

LORENA NUNES

Fortaleza parece que tá sempre soprando um ventim de sorriso pra mim... Aquela brisa com cheiro de maré, que te convida a um banho de mar pra amansar o calor. Eu já andei e inclusive naveguei em muitos mares por aí, mas tem uma coisa no mar de Iracema que me toca mais. Fortaleza tem milhões de coisas que me inspiram e tem milhões de Fortalezas nela mesma. Mas de todas, o meu xodó é o mar. É a Fortaleza “Minha Praia”.

 

[FOTO3]

IT GIRL

A Fortaleza que me inspira é a Fortaleza do acaso. A Fortaleza que muda meu dia por causa da chuva torrencial que caiu cedo da manhã, alagando o bairro e me obrigando a tirar meu caiaque do armário. A Fortaleza dos filósofos anônimos, que tecem as mais brilhantes teorias sobre a condição humana enquanto eu devoro uma tapioca banhada no leite de coco na parada do Circular I. A Fortaleza que me faz cantar a plenos pulmões nos bares karaokê da Cidade, abraçado com pessoas que eu conheci seis cervejas atrás.

 

[FOTO4]

ASTRONAUTA MARINHO

Nos inspira a Fortaleza dos cães andando sem rumo; das varandas que desabam; dos olhares desconfiados; das pessoas mal-educadas que furam a fila do pão; dos motoristas que ultrapassam buzinando e param no sinal alguns metros depois; do senhor que perambula de bicicleta ouvindo um som; dos meninos de apartamento, enjaulados em estruturas de concreto; das ruas nas madrugadas desertas, dos choros de saudade entre as ruínas de construções históricas que viraram estacionamento, das escolas que nada ensinam, das festas cheias de vazio, dos monopólios comerciais; dos adultos infantilizados; do vento que assanha o cabelo.

 

[FOTO5]

GUSTAVO PORTELA

Em Fortaleza me fiz fortaleza. Finquei o pé. Fortalezei-me. E fortalezando-me, tomei, para mim, a decisão mais importante até então, permanecer em Fortaleza. Aqui conheci o amor em suas mais distintas formas e dele nasceu um fruto. Deixei de ser fortaleza. Agora sou mel, óleo de máquina e por muitas vezes ácido. Lisérgico também. É preciso. A Fortaleza das desigualdades dói, machuca, mas inspira. A vontade de me refazer fortaleza para os meus perpassa por fortalecer à todos e todas nessa luta diária por um pouco mais de espaço numa cidade tão contraditória, mas cheia de belezas e seduções. Amo Fortaleza. Tento ser fortaleza a cada dia, mas fortalezense já sou.

 

JOÃO GABRIEL TRÉZ, CAMILA HOLANDA

TAGS