PUBLICIDADE
Jornal
saúde mental

O lado que pesa

|Espetáculo|Comemorando dois anos do Instituto Revoar, espetáculo A Bagagem retrata os altos e baixos da vida, hoje à noite, dia 21, no Theatro José de Alencar

21/03/2019 03:01:59
Espetáculo 'A Bagagem'
Espetáculo 'A Bagagem' (Foto: PEDRO BAYO)

Perda, culpa, preocupação, medo, ansiedade, tristeza, insegurança. O espetáculo A Bagagem propõe, como o nome mesmo sugere, relembrar sentimentos e sensações pesadas e desnecessárias que carregamos e que nos impedem de viver a vida de forma completa. Nos palcos, um diálogo sobre saúde mental - assunto ainda tabu na sociedade, mas que, felizmente, tem conquistado espaço e relevância - retratado de forma leve e poética.

Em comemoração aos dois anos do Instituto Revoar, com texto de Rafael Martins, direção de Yuri Yamamoto e realizado pelo elenco do Grupo LEMA de Teatro, A Bagagem será apresentado hoje, 21, às 19h30min no Theatro José de Alencar. O espetáculo mostra pequenas ações do cotidiano que são comuns a todos. Um jantar, um aniversário, o local de trabalho, o espaço de estudo, os relacionamentos. Os muitos caminhos que a vida pode traçar e que levam à reflexão sobre a importância de estar vivo e viver, de fato, o momento.

"A peça tem início em uma festa de aniversário. É um momento em família e o personagem do pai é demitido nesse mesmo dia. Os outros familiares não conseguem notar que o pai está sofrendo e tratam a apatia dele de forma inadequada. Eles não dão a devida atenção", conta Edir Paixão, um dos atores da obra e major do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará.

Com apenas sete artistas no palco, todos trabalhando voluntariamente, a peça traz relatos vividos pelos próprios atores, conectando-se intimamente com o público presente. "As pessoas se identificam, elas se indagam se aquela situação (ou sensação) já aconteceu com elas ou com alguém próximo", comenta Edir, comandante da seção de busca e salvamento dos bombeiros.

Edir Paixão também trabalha realizando cursos e palestras de intervenção e resgate às pessoas que tentaram praticar suicídio. Ele conta que iniciativas que levem a saúde mental ao debate são extremamente importantes e necessárias. "O silêncio mata, a gente precisa conversar para prevenir", alerta o ator.