PUBLICIDADE
Jornal
Lançamento

Obra (prima) do capeta

Devil May Cry 5 é um pacote completo, repleto de ação, gráficos de primeira e muito estilo. O jogo está disponível para Playstation 4, Xbox One e PC

Imagens do game Devil may cry 5
Imagens do game Devil may cry 5 (Foto: fotos divulgação)

Falar de Devil May Cry 5 sem citar o legado que o precedeu é impossível. Este é o quinto game de uma série produzida pela tradicional desenvolvedora japonesa, Capcom, desde a era do Playstation 2. Pela idade, a DMC já passou por diversas fases e, em cada uma delas, tenta se manter em sintonia com as demanda do meio gamer. Após uma tentativa anterior - e fracassada - de recomeçar do zero, a série com Devil May Cry (de 2013), a Capcom voltou atrás e trouxe novamente a franquia aos trilhos de sua narrativa original. O resultado? Jackpot!

Devil May Cry 5 é um título de ação em terceira pessoa, que dá ênfase à jogabilidade e ao apelo estilizado em seu design. Contrariando a vertente atual, este não é um título de mundo aberto. Quando esbarra com grupos de inimigos espalhados pelo ambiente, é criada uma área que transforma o espaço em uma pequena arena. Esta só se abre após a eliminação dos vilões presentes. Um contador de pontos avalia o quão estilosa foi a performance do jogador durante seus embates e ao fim de cada missão. Quanto maior for a variedade de armas e habilidades utilizadas, maior a nota.

O enredo de DMC 5 dá continuidade aos quatro games anteriores da série, mas pode ser compreendido por qualquer novato, em decorrência de uma opção presente na tela inicial do jogo, para recontar os principais pontos da trama até chegar ao Devil May Cry 5.

A narrativa começa no meio da invasão da cidade fictícia de Red Grave City por serviçais do demônio Urizen. O jogador logo toma controle de Nero (introduzido em DMC 4) que juntamente com V (uma figura nova e misteriosa) tentam deter a investida demoníaca e auxiliar Dante (principal protagonista dos jogos anteriores) a deter Urizen. Após um ataque mal sucedido, Nero e V se veem forçados a partir em retirada e deixarem para trás Dante. A partir daí, a aventura segue, acompanhando os diferentes caminhos que cada um dos três personagens deve seguir para por um fim à ameaça satânica.

Durante o caminho linear que a narrativa segue, tanto Nero, quanto V e Dante são controláveis pelo player. Apesar de suas mecânicas de controle serem similares, cada um dos três avatares apresenta características e habilidades de combate distintas, mas igualmente divertidas de jogar.

Nero e Dante são parecidos, já que ambos possuem ataques de perto, usando espadas, e de longe, por meio de armas de fogo. Entretanto, Dante é capaz de invocar armamentos alternativos, como nunchakus congelantes e, até mesmo uma motocicleta que se parte ao meio e serve como dois bacamartes gigantes. Já Nero amplia seu poder por meio de seu braço direito amputado, que recebe uma grande sorte de próteses mecânicas, cada uma garantindo habilidades diferentes ao personagem. O terceiro protagonista controlável é o mais inovador em termos de combate. Detentor de misteriosos poderes mágicos, V batalha utilizando três criaturas mágicas que atacam alternadamente, enfraquecendo cada inimigo e permitindo a ele sempre executar o golpe final.

As três figuras principais do game contribuem para a reputação voltada à ação da série. Há uma intricada mecânica de combos que são ativados após uma série específica de botões ter sido pressionada, dando a cada player incentivo para se aprofundar no aprendizado da lista de golpes e se tornar mestre ao longo de sua jogatina com o título. Para aqueles com falta de destreza neste departamento, o game oferece uma opção que torna cada combo mais simples de ser executado.

No quesito visual, Devil May Cry 5 é um dos videogames mais bem feitos da geração atual de consoles. Não somente pelo gráfico de cada inimigo, arma ou dos personagens, mas também pelo nível de realismo e qualidade geral trazido pelos desenvolvedores do jogo, levando o motor gráfico "RE Engine" - criado originalmente para os títulos de Resident Evil - ao seu provável limite. O grau de refinamento das animações faciais de Dante, Nero e V é de cair o queixo até dos mais críticos. Há, entretanto, um "quê" de genérico no visual de alguns demônios aqui presentes. Além disso, numa tentativa de retornar às raízes da série, diversos cenários são exageradamente familiares aos dos games passados e um pouco repetitivos ao longo da experiência total de jogo.

Devil May Cry 5 dá continuidade à safra de videogames obrigatórios para qualquer gamer que admire o casamento entre diversão e qualidade. A ação neste título é fluida, rápida e acessível, tanto a veteranos quanto a novatos. Em mais de 10 horas de jogatina até zerar, são diversos momentos repletos de adrenalina, reviravoltas interessantes e personagens engajantes. É uma experiência visual difícil de se comparar e mais um excelente jogo que a Capcom traz ao mercado. Se é pela garra que se conhece o diabo, talvez seja por este game que conheçamos um dos melhores lançamentos de 2019.

Davi Rocha é produtor de conteúdo de Canal Bacontástico

 

Davi Rocha / ESPECIAL PARA O POVO