PUBLICIDADE
Jornal
2008 2008 - 2016 2004 2011 2010 2014 2015 2012 2014 - 2018 2014 2015 2013 2013 2016 2018 2017

Anos 2000 e o mercado atual

01/02/2019 03:51:20

O gaúcho Rafael Grampá vira referência mundial com a HQ Mesmo Delivery e abre as portas para as graphic novels no Brasil
A Mad volta com o maior número de colaboradores brasileiros da sua história. Luciano Felix, Rafael Salimena, Renan César, Rodrigo Brum e os cearenses Guabiras e Lerdely são alguns deles.
A revista Tarja Preta reacende o underground com Allan Sieber, Leonardo e Arnaldo Branco.
Com financiamento coletivo, artistas como Daniel Esteves e Ruis Vargas abastecem o mercado de HQ's.
Bando de Dois

(do paulista Danilo Beyruth) é um dos mais interessantes quadrinhos sobre

cangaço do Brasil.
O cearense Zé Wellington se firma

no mercado como um grande roteirista de HQ's.
Caio Oliveira trata os super-heróis com um jeito bem sarcástico e cômico em suas produções.
Chega ao mercado as Graphic MSP, HQ's da Turma da Mônica feitas por artistas escolhidos a dedo.
A saga da Mayara

e Anabelle (selo

Netuno) é disparada a produção cearense mais contínua da atualidade.
Os quadrinhos bagaceiras seguem firme e forte graças à Smegma Comix (Pablo Carranza).
O grupo Seres Urbanos volta a cena com uma coletânea recheadas de HQ's. Um trabalho fino, lindo e precioso.
A editora Draco se especializa em quadrinhos de terror, fantasia e ficção científica apostando sempre em novos talentos.
O paulista Max Andrade é um dos quadrinistas brasileiros que mais produzem mangá no País.
Com o álbum Castanha do Pará o paraense Gidalti Jr conquistou o primeiro Prêmio Jabuti na categoria quadrinhos (2017).
A HQ C.C.C., do paulista Guaré, é a prova que os quadrinhos toscos ainda merecem destaque
no mercado
A Ugra lança Marcatti 40, uma livro de HQ's em homenagem ao Marcatti. Ao todo mais de 40 artistas participaram
do projeto

TAGS