VERSÃO IMPRESSA

WR-V teve pesquisa em Fortaleza

WR-V chega às lojas no final de março situado entre o Fit e o HRV, e deve custar algo a partir de R$ 69 mil

01:30 | 07/02/2017

[FOTO1] 

Jocélio Leal

ENVIADO A SUMARÉ

leal@opovo.com.br

Fortaleza foi uma das cidades brasileiras pesquisadas pela Honda antes de projetar o WR-V, o novo SUV da marca, a estrear nas lojas no final de março. O modelo fora apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro. Na última terça-feira (31), a montadora apresentou o modelo em detalhes na fábrica de Sumaré (SP), onde será fabricado a partir deste mês. Os preços não foram revelados, mas o mercado espera algo a partir de R$ 69 mil.


Em suma: o WR-V atende ao desejo de ter um carro para além do Fit, como pegada mais robusta, porém, não tem dinheiro para pular para o HRV. Sim, seria inverdade dizer que não vai além de uma versão aventureira do Fit (nascido no Brasil em 2003). Ele é mais.


Na gama de modelos da Honda, o WR-V passa a ocupar um espaço entre o Fit (modelo de entrada) e o HRV (outro SUV). A nova aposta da japonesa busca dar resposta às informações obtidas na pesquisa. Segundo um dos responsáveis pelo projeto, Luís Marcelo Kuramoyo, um dos anseios medidos foi a busca de um carro com mais altura em relação ao solo, por conta da pavimentação ruim.


Outra: mais visibilidade para se sentir seguro. Os pesquisados apontaram ainda a necessidade de um carro de dimensões menores, com mais facilidade para espaços menores. Além de Fortaleza, a Honda ouviu consumidores de São Paulo, Campinas (SP), Curitiba e Belo Horizonte.


O POVO visitou a fábrica da montadora em Sumaré (SP) – a 103 km da Capital, na Grande Campinas, pra conhecer cada etapa da produção do modelo, hoje em fase pré-série. Em boa medida o processo é robotizado. Os operários monitoram. Até os trenzinhos que transporta motores dentro da indústria são robôs. Seguem o percurso de uma faixa no solo e param para serem recarregados.


O projeto do WR-V foi liderado pelo time de Pesquisa e Desenvolvimento da Honda Automóveis do Brasil. O WR-V marca os 20 anos de fabricação da Honda Automóveis no Brasil. O veículo é o primeiro automóvel com desenvolvimento liderado pela área de P&D no país e será produzido na fábrica de Sumaré, interior de São Paulo, juntamente com Civic, HR-V, City e Fit.


O design externo do WR-V segue o conceito “Wild Armor”, criado especificamente para ele. Traduzindo: frente elevada, marcante e com grade frontal que evoca a linha de SUV da Honda. Nele, é dada atenção especial aos faróis, com design expressivo e com luzes de uso diurno (DRL) em LED.


A suspensão adota amortecedores com batente hidráulico e diâmetro de cilindro reforçado. A barra estabilizadora apresentada é mais robusta do que o Fit. É uma forma de minimizar a rolagem da carroceria, garantindo estabilidade mesmo com uma altura do solo mais elevada. As buchas frontais são mais resistentes também.


O eixo traseiro teve desenvolvimento baseado no HR-V. A caixa de direção EPS (Electric Power Steering), é eletricamente assistida, desenvolvida especificamente para o WR-V, permitindo um raio de manobra de 5,3 metros.


Rodas e pneus também foram desenvolvidos especificamente para o WR-V. As rodas de 16 polegadas trazem composto de alumínio com liga diferenciada, o que garantiria menos ruído de rodagem.


Dentro, o sistema de bancos ULTRa SEAT (Utility Long Tall Refresh) está lá. O modo Refresh permite assoalho plano, que amplia o espaço útil para bagagens.


A Central multimídia é similar a do Fit EXL, com tela acionada por toque, de 7 polegadas. Tem comandos multifuncionais no volante e de voz, câmera de ré, navegador GPS, Bluetooth e USB.


Para o novo carro um novo conceito. A Honda batizou de “Little Giant”. Seria um SUV robusto, com uma carroceria compacta, mas que traz amplo espaço interno e versatilidade, além de promessa de baixo consumo de combustível.


*O jornalista viajou a convite da Honda

 

ADRIANO NOGUEIRA

TAGS