PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Aliados comentam chances de Samuel Dias

07/07/2019 02:16:45

Virtual candidato do prefeito Roberto Cláudio (PDT) para a sua sucessão, o secretário de Governo Samuel Dias ainda é uma incógnita.

Responsável por um programa de execução de obras no valor de R$ 1,5 bilhão na Capital, anunciado com pompa e circunstância na última segunda-feira, 1º/7, Dias logo passou de cotado a forte candidato a candidato a postulante do grupo de sustentação do pedetista.

Reservadamente, aliados analisaram as chances do secretário na disputa eleitoral de 2020. Para um deputado federal, Dias é "bom quadro, preparado e conhecedor da gestão", mas lhe falta algo crucial: "Experiência política".

Parlamentar calejado, ele avalia, contudo, que o possível concorrente "tem um ano para aprender" e se aperfeiçoar. "É mais fácil se formar um bom candidato que se formar um bom gestor", considera.

Outro congressista traça perfil semelhante de Dias. Segundo ele, alguém que "conhece a Prefeitura, bom técnico, pessoa de diálogo fácil e atenciosa", mas é preciso que deseje mesmo concorrer. "Em política, a primeira coisa importante é o candidato querer (e muito), não pode titubear", responde. "E eu não sei da vontade dele."

Em segundo lugar, acrescenta esse parlamentar, é preciso esperar para saber se ele vai realmente receber o apoio político do grupo e da militância. "Acho que essa última questão precisa ser construída. Simpatia ele tem. Mas precisa saber se a liderança lá da ponta quer pedir voto pra ele. Esse termômetro, o RC que tem que verificar." Para o deputado, não adianta "enfiar nome" goela abaixo. "Não cola mais", sintetiza.

Embora reconheça competência técnica de Dias, um aliado é mais incisivo ao classificá-lo como alguém "sem carisma". Parte da base do clã Ferreira Gomes, esse parlamentar faz uma ressalva à possível escolha do gestor como o nome do grupo na corrida eleitoral.

"Não estamos no tempo de Juraci e Cambraia (ambos ex-prefeitos). E tem o Capitão (Wagner), que é forte e carismático", diz. "Ele não tem posição política, e justo num momento que o contexto exige."

 

TAGS