PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Por que mais meninas estão morrendo?

17/06/2019 02:26:24

Desmistificar o discurso de dizer que elas morreram porque estavam envolvidas com o tráfico. Esse será o objetivo do próximo relatório do Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência. Ainda em junho, pesquisadores irão a campo para entender quais fatores vulnerabilizam as meninas vítimas de homicídios. De acordo com a psicóloga, assessora técnica do Comitê, Daniele Negreiros, há alguns anos, o percentual de adolescentes assassinadas não passava de 4% entre os crimes do tipo na faixa etária. A marca subiu para até 15% em 2017.

"Quando fazemos esse recorte, precisamos entender a condição feminina dentro desse quadro", destaca Daniele. Em quais trabalhos ela estava envolvida? Que violências sofreu? Tinha filho? Qual a escolaridade? Conforme a técnica, serão colocadas as lentes do gênero na questão ampla da juventude. O envolvimento das facções criminosas estará de forma transversal.

O material deverá estar pronto em novembro e tentará nortear a criação de políticas públicas. "Temos um atendimento bem estruturado para mulheres vítimas de violência familiar. Mas e as meninas? E eu não estou falando de violência familiar, mas de violência urbana", pondera a titular da 12ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Arlete Silveira.