PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Reforma trabalhista não gerou o impacto esperado

É necessário mais tempo

01/05/2019 02:42:37

Aprovada em julho de 2017 e em vigor desde novembro daquele ano, a reforma Trabalhista ainda não trouxe o fôlego esperado para os empregos com carteira assinada como foi anunciado.

A esse respeito, Daniel Duque, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), unidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV), explica que a flexibilização proporcionada pelas mudanças na lei não tem tanto impacto em um cenário de pouco crescimento econômico. Em suma, sem uma economia forte é impossível haver um aumento no número de contratações.

"Se você tem um PIB que não está crescendo, e a tendência é que ele permaneça assim, quase parado, nem o emprego mais barato do mundo vai ser gerado. Você precisa ter uma atividade econômica para fazer sentido contratar mais gente", explica. Segundo o pesquisador, ainda é cedo para avaliar o impacto de uma reforma como a que foi aprovada. Ele avalia que isso só pode ser auferido em um intervalo de tempo maior, cerca de cinco anos.

O pesquisador da FGV também destaca a importância da reforma da Previdência para fortalecer a economia do País. "Sem reforma, haverá um processo de fechamento de vagas. Em um cenário de nenhuma reforma, a economia voltaria à recessão e o desemprego voltaria a aumentar". Mas Duque lembra que somente essa reforma não é o suficiente. Ele evidencia a relevância de reformas como a tributária.