PUBLICIDADE
Jornal

Justiça isola mais 15 presos na segurança máxima em Mossoró

Depois da transferência de 21 presos do Comando Vermelho, juiz retira do Ceará 15 criminosos da GDE

11/01/2019 01:30:00
NULL
NULL

[FOTO1]

Mais 15 líderes de facção foram transferidos do Ceará para um presídio federal. Desta vez, criminosos da Guardiões do Estado (GDE) foram isolados na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Na última terça-feira, 21 integrantes do Comando Vermelho (CV) já haviam seguido para a unidade de segurança máxima no estado potiguar.

[SAIBAMAIS]Inicialmente, os detentos do sistema carcerário do Ceará ficarão 20 dias na cadeia de Mossoró. Depois, provavelmente, seguirão para a Penitenciária Federal de Catanduvas (Paraná) ou outro presídio com regras mais rígidas.

A medida, solicitada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), do Ministério Público Estadual, é uma das estratégias para sufocar os ataques das facções criminosos registrados no Ceará e que já duram dez dias.

Ontem, o governador Camilo Santana (PT) havia anunciado a transferência de 20 presos. Porém, a Justiça cearense só autorizou a remoção de 18, enquanto a Justiça do Rio Grande do Norte só aceitou receber 15 (veja lista).

Entre os transferidos está Zaqueu Oliveira da Silva. Ele, que controlaria o tráfico de drogas nos o bairros Itaperi e Passaré, em Fortaleza, foi denunciado pelo MP como um dos mentores da Chacina no Forró do Gago. Massacre que terminou com 14 pessoas mortas e 18 feridas, em 27/1/2018. Uma das funções dele, naquele dia, foi arregimentar "soldados" para a carnificina na comunidade do Barreirão, no bairro Cajazeiras.

Zaqueu ou H20, ao lado dos criminosos Deijair de Sousa Silva, Auricélio Sousa Freitas (o Celim) e os irmãos Misael de Paula Moreira (o Afeganistão) e Noé de Paula Moreira (o Gripe Suína), formariam o Conselho da GDE que planejou a chacina.

O grau de periculosidade dos criminosos foi um dos argumentos que convenceu os juízes a decidir pelo isolamento. Mesmo dentro do sistema penitenciário, eles comandavam o tráfico de drogas e acertavam o assassinato de inimigos ou devedores.

Outro considerado perigoso é Vinícius da Silva Oliveira, o Mortadela. Ele liderava a facção em Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza. O traficante comandou o ataque ao Fórum da cidade, em janeiro de 2018, quando bandidos invadiram o prédio e roubaram armas de fogo. O grupo de Vinícius também destruiu processos criminais e pichou as paredes do Fórum com a sigla GDE. O detento seria responsável ainda por uma série de assassinatos.

Os pedidos de transferências de Marigebio Ferreira de Freitas, Francisco Roberio, Ferreira Martins, Douglas Feitosa e mais dois presos dependem de informações burocráticas.

De acordo com a decisão judicial, o presídio de Mossoró não é um local indicado para a transferência de presos oriundos do Nordeste. Especialmente do Ceará, por causa da proximidade geográfica. No entanto, "diante da situação de emergência" concedeu-se a remoção. Depois de 20 dias, nova mudança para outra região do País.

URGÊNCIA 

A transferência dos 15 presos para a Penitenciária Federal de Mossoró aconteceu em caráter de "urgência, excepcionalidade e extrema necessidade". Desde o último dia 2, facções incendeiam ônibus, prédios e equipamento públicos e privados.

NOVOS TRANSFERIDOS (GDE) 

1. Zaqueu Oliveira da Silva - Tem 37 anos. Foi autorizado para ser incluso no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), de isolamento total dentro da penitenciária. Traficante com atuação no bairro Passaré, autor de diversos homicídios. É citado como envolvido na Chacina das Cajazeiras, em janeiro do ano passado, quando 14 pessoas foram executadas dentro do Forró do Gago.

2. Marcos da Silva Pereira - "Marquinhos Chinês", 39 anos. É apontado como um dos fundadores da facção GDE e um dos principais traficantes de drogas no Ceará.

3. Yago Steferson Alves dos Santos - "Yago Gordão", 26 anos. Foi capturado em 21/12/2018. Estava foragido até então. Atua diretamente no tráfico de drogas. É um dos líderes da facção.

4. Vinícius da Silva Oliveira - "Mortadela", 25 anos. Líder da facção em Maranguape. Envolvido no ataque ao Fórum da cidade, em janeiro de 2018, quando criminosos invadiram o prédio para roubar armas de fogo e destruíram vários processos criminais e picharam as paredes do local com a sigla GDE. Teria envolvimento com tráfico de drogas, associação criminosa e homicídios dolosos.

5. Romário Cosmo Dantas do Nascimento - "Boby", 24 anos. Considerado perigoso traficante, atua na região do Sertão Central. Também envolvido com roubos.

6. Paulo Victor Lopes Monteiro - "PV Galego", 31 anos. Sequestrador, com atuação em outros estados, também participação em assaltos a bancos e estabelecimentos comerciais.

7. Jonnatas Ribeiro - "Urso da Pajuçara", 43 anos. Antecedentes de tráfico de drogas e porte ilegal de armas de fogo, homicídio e receptação. Também apontado em assaltos a bancos.

8. Francisco Robson de Souza Gomes - "Mitol", 27 anos. Longa ficha criminal por roubos, homicídio doloso, tráfico de entorpecentes, porte ilegal de arma de fogo. Tem papel de destaque dentro da facção.

9. Francisco Lucas da Silva Pereira - "Chico da Barra" ou "Luquinhas", 37 anos. Extensa ficha criminal por porte ilegal de armas, homicídios, roubo e sequestro relâmpago. Tem papel de destaque na GDE.

10. Francisco Fábio Madeiro Lopes - "Fábio Pague Menos", 35 anos. Especialista em roubo a estabelecimentos comerciais, também com papel de destaque na facção.

11. Francisco Anderson Silva de Sousa - "Bobo", 26 anos. Envolvido em roubo e uso de drogas. Estava foragido desde julho de 2017, quando escapou da CPPL 2.

12. Francinelio Oliveira e Silva - "Urso da Pajuçara", 43 anos. Antecedentes ligados a tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, homicídio e receptação. Também envolvido com roubo a bancos.

13. Fabiano Cavalcante da Silva - "Jhow", 31 anos. Considerado um dos líderes da GDE, com papel relevante na articulação da organização criminosa com outros grupos de vários bairros da Capital. Acusado de envolvimento na morte de 3 PMs na Vila Manoel Sátiro.

14. Dedigal Rafael Alves Martins - "Goga", 30 anos. Envolvido com tráfico de drogas, porte ilegal de armas e homicídios. Atua na cidade de Paracuru.

15. Bruno Cavalcante Costa - "Bradesco", 30 anos. Teria função de liderança dentro da CPPL 2, onde estava recolhido. Ficha criminal inclui porte ilegal de arma de fogo, furtos qualificados e roubos.

Números

36 presos foram removidos para a penitenciária Federal em Mossoró: 21 do Comando Vermelho e 15 da GDE

Demitri Túlio, Cláudio Ribeiro

TAGS