PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Resgate de garotos na Tailândia ensina sobre esperança

| TAILÂNDIA | Operação de resgate dos doze meninos tailandeses e do treinador presos em caverna superou dificuldades e acabou bem-sucedido. Sobreviventes recebem acompanhamento médico

01:30 | 11/07/2018

A operação de resgate dos 12 garotos e do técnico de futebol que estavam presos em uma caverna na Tailândia terminou ontem e é considerada um sucesso pelas autoridades locais. Após três dias de trabalho, as equipes conseguiram retirar, sem imprevistos, todos os meninos que estavam há 18 dias impedidos de sair do local por conta de uma inundação. Agora, eles passam por acompanhamento médico e psicológico.

&nsbp;

Para alcançar o lado de fora da caverna, cada garoto precisou sair individualmente com a ajuda de dois mergulhadores. As equipes de resgate se dividiram entre as três galerias da caverna e se revezavam na retirada dos meninos, que durou, cada uma, cerca de dez horas. O percurso era longo e cheio de obstáculos até mesmo para mergulhadores experientes. Os riscos ficaram ainda mais evidentes após um ex-mergulhador da elite da Marinha tailandesa morrer ao instalar tubos de oxigênio na caverna inundada.

Com idade entre 11 e 17 anos e sem experiência de mergulho, os jovens receberam treinamento sobre como usar a máscara e respirar debaixo d’água com ajuda de um tanque de oxigênio.

A operação de resgate que culminou na retirada dos tailandeses foi iniciada no último domingo, 8. Ao todo, 50 mergulhadores estrangeiros, 40 mergulhadores locais e 30 equipes médicas participaram da operação. No domingo, quatro adolescentes foram retirados do local. Outros quatro saíram na segunda-feira e os últimos, incluindo o treinador, foram extraídos ontem.

O estado de saúde dos últimos cinco resgatados ainda não tinha sido divulgado até o fechamento desta matéria, mas os oito primeiros estavam bem de saúde, segundo as autoridades locais.

Todos permanecem hospitalizados em quarentena. Dois dos meninos estão tomando antibiótico para tratar uma pneumonia adquirida pelo tempo expostos à umidade da caverna. A equipe médica, contudo, minimiza os riscos.

Todos os resgatados foram submetidos a exames radiológicos e sanguíneos cujos resultados devem sair em poucos dias. Eles também foram vacinados contra tétano e raiva.

Eles também usam óculos de sol para que possam se acostumar progressivamente ao sol, uma vez que passaram as últimas semanas privados da luz do dia.

Em casos de sobreviventes resgatados depois de longo período sob a terra, os problemas mais comuns são nos olhos e nos pulmões. Os médicos ainda investigam os riscos de infecções. Por enquanto, os pais só puderam ver os filhos através de um vidro. Eles só serão autorizados a vê-los mais de perto, quando saírem os resultados dos exames. Ainda assim, terão de usar roupas de proteção, além de manter-se distante por pelo menos dois metros. (Com agências)

 

INUNDAÇÃO

Os garotos e o treinador do time Javalis Selvagens teriam ido comemorar o aniversário de um dos jovens. Após uma chuva e rápida inundação, eles entraram ainda mais no local e ficaram presos. Nove dias depois dois mergulhares britânicos localizaram o grupo. Eles estavam em uma rocha a mais de 4 km da entrada.

 

ATENDIMENTO

Os socorristas aprovaram o uso de sedativo leve para acalmar os jovens. Especialistas temiam que os adolescentes pudessem ficar em pânico durante o trabalho, dificultando o resgate. Após a saída, eles têm acompanhamento psicológico para avaliar o trauma.

 

REPERCUSSÃO

O presidente dos EUA, Donald Trump, felicitou a marinha tailandesa pelo feito. A premiê britânica, Theresa May, também elogiou o trabalho. “O mundo estava assistindo e estará celebrando a coragem de todos os envolvidos”, disse.

 

RôMULO COSTA