VERSÃO IMPRESSA

Pré-candidatos repercutem demissão de gestor

01:30 | 02/06/2018

Os pré-candidatos à Presidência da República repercutiram a demissão do presidente da Petrobras, Pedro Parente, ontem. Pelas redes sociais, Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou que não se pode “desperdiçar” o trabalho de Parente à frente da estatal. “Com a saída de Pedro Parente, o importante nesse momento é não desperdiçar o trabalho de recuperação da Petrobras”, diz a nota do tucano.  

Ciro Gomes (PDT) afirmou que a saída do executivo da estatal não é suficiente e que a política de preços adotada durante sua gestão deve ser revista. “Não basta demitir o senhor Pedro Parente”, disse Ciro, em vídeo publicado em suas redes sociais. “É preciso exigir que a política de preços que ele impôs seja trocada”, completou, reforçando que a revisão da situação não pode ser feita com “demagogia”.


O pré-candidato Flávio Rocha (PRB) criticou as gestões dos últimos três presidentes da Petrobras. “Gabrielli e Graça Foster usaram a Petrobras para conter a inflação e quase quebraram a empresa”.
Guilherme Boulos, do Psol, elogiou a saída de Parente. Para ele, a política de preços da Petrobras foi “desastrosa”. 

 

(AE)

TAGS