PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Preso um dos suspeitos de participar da chacina do Benfica

| SEGURANÇA | Suspeito de envolvimento na chacina do Benfica foi detido na madrugada de ontem, no bairro Meireles. Com o acusado foram encontradas armas e munições

01:30 | 12/03/2018

TIROS A chacina ocorreu na praça da Gentilândia e na sede da TUF  AURÉLIO ALVES/ESPECIAL PARA O POVO
TIROS A chacina ocorreu na praça da Gentilândia e na sede da TUF AURÉLIO ALVES/ESPECIAL PARA O POVO

Foi preso na madrugada de ontem, 11, o primeiro suspeito de ter participado da chacina do Benfica. O homem é a primeira pessoa detida pelo crime que deixou sete mortos em ataques simultâneos no bairro. Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os policiais descobriram a localização de um veículo Fiat Punto que havia sido captado em imagens de câmeras localizadas no entorno da sede da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF). O mesmo carro foi encontrado na garagem de um prédio no bairro Meireles.

A operação foi conduzida pelas equipes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Os agentes da Segurança Pública realizaram buscas no apartamento ao qual a garagem é vinculada, onde encontraram dois revólveres calibre 38, uma pistola 40, munições e carregadores.

O suspeito que estava no imóvel tentou fugir, mas foi contido pelos policiais. Ainda de acordo com a SSPDS, ele já responde pelos crimes de roubo e receptação. Agora, foi autuado por homicídio, posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, resistência, receptação e nas Lei das Organizações Criminosas.

Dentro do automóvel, foram encontrados cartuchos de balas. “O material recolhido foi encaminhado para a Perícia Forense do Ceará (Pefoce), onde será comparado com o que já havia sido coletado nos locais dos crimes. A DHPP segue com as investigações, visando à prisão dos demais suspeitos”, informaram.

 

A SSPDS não informou o nome do homem preso. O POVO solicitou a identificação, mas conforme a assessoria da pasta o procedimento de não divulgação do nome do suspeito se deu para preservar as investigações acerca do caso, já que existem outras pessoas envolvidas que ainda não foram capturadas.

 

Em coletiva de imprensa concedida no último sábado, 10, o secretário estadual da Segurança Pública, André Costa, associou parte das mortes da chacina a uma briga de torcidas que aconteceu no último jogo entre Fortaleza e Ceará, no domingo, 4. Na ocasião, ele afirmou ainda que, baseado nos levantamentos da Polícia Civil, os crimes possuem dois modus operandi diferentes: com disparos em vítimas direcionadas na Praça da Gentilândia e disparos aleatórios na sede da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF).

Ainda conforme informações divulgadas na coletiva, no caso da Gentilândia pelo menos três pessoas atuaram no crime. Nas proximidades da TUF, seriam outras duas pessoas. Existiria ainda uma pessoa em cada carro de apoio.

Na manhã de ontem, o governador Camilo Santana (PT) visitou a DHPP acompanhando o andamento das investigações do crime. No local, ele conversou com as equipes de investigação e a cúpula da segurança (titular da SSPDS, André Costa, comandante da Polícia Militar e diretor geral da Polícia Civil).

Conforme assessoria de imprensa do titular do executivo estadual, Camilo também percorreu alguns bairros como Aerolândia, Lagamar, Dias Macedo, Castelão, Parangaba, Siqueira e Itaperi. “Esteve conferindo algumas blitzes que acontecem em Fortaleza”. A intensificação das blitzes na Cidade foi uma das providências tomadas pelo governador em reunião neste sábado. Ainda conforme a assessoria, a ação tem como principal objetivo a busca e apreensão de armas. (Colaborou Eduarda Talicy)

 

O QUE AINDA NÃO SE SABE SOBRE A CHACINA

Qual a motivação do crime?

O secretário André Costa informou que as polícias trabalham com várias linhas de investigação. Segundo ele, um dos suspeitos identificados — ainda não há a confirmação se é o mesmo que foi preso — estaria envolvido na briga de torcida que ocorreu no último domingo, 4. As organizadas do Ceará e do Fortaleza negam essa hipótese.

Outra hipótese aponta que o crime teria sido praticado por facção criminosa. A tese é reforçada pela ação na praça da Gentilândia, que teria alvos específicos. Com duas das três vítimas foram encontrados entorpecentes. O pai de um dos jovens mortos na Vila Demétrios, próximo à TUF, também descartou essa teoria. “Meu filho não era traficante”, disse.

 

Quantas pessoas participaram da ação?

Segundo o secretário da Segurança Pública, no caso da Gentilândia, pelo menos três pessoas atuaram no crime. Eles estavam em um carro Honda Civic. Nas proximidades da sede da TUF, seriam outras duas pessoas. Ainda há divergências sobre o veículo que eles usavam. Segundo a SSPDS, o modelo flagrado pelas câmeras de vigilância é diferente do relatado por testemunhas. Neste domingo, 11, os investigadores localizaram um fiat Punto em um prédio no Meireles. Segundo a Pasta, o carro foi filmado passando pela região do massacre e os policiais chegaram até o primeiro suspeito, que foi preso. Na chacina, existiria ainda uma pessoa em cada carro de apoio, segundo o secretário.

 

Afinal, foram quantos feridos?

A secretaria confirma somente duas pessoas feridas e hospitalizadas, mas há subnotificação, já que nem todas realizaram a denúncia.

 

As mortes na praça da Gentilândia e na TUF foram coordenadas pelo mesmo grupo

Ainda não há informação se as mortes foram coordenadas pelo mesmo grupo. O secretário não exclui que todas os assassinatos tenham a mesma autoria, pois aconteceram em locais e em horários próximos. A equipe da Pefoce está analisando os projéteis nos três locais e também os projéteis que foram coletados nos corpos das vítimas.

 

IGOR CAVALCANTE