PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

As medidas anunciadas como reposta aos crimes à chacina do Benfica

| AÇÕES | Policiais que atuam em atividades administrativas serão remanejados para ações ostensivas e blitze de trânsito serão intensificadas com foco em busca e apreensão de armas

01:30 | 13/03/2018

Na primeira segunda-feira após a Chacina no Benfica, que deixou sete mortos, uma série de mudanças no policiamento ostensivo está prevista. Uma delas envolve a implantação de uma base da Prefeitura de Fortaleza em parceria com a Polícia Militar na praça da Gentilândia, um dos locais onde aconteceram as mortes. Além disso, há a ideia de retirar policiais que trabalham na área administrativa dos quartéis e enviá-los para as ruas e de implantar equipamentos de segurança nos centros universitários.
 

Em reunião no Palácio da Abolição, ainda no sábado, 10, entre o governador Camilo Santana (PT) e a cúpula da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), uma das iniciativas acertadas foi a intensificação de blitze de trânsito com foco no desarmamento. Os locais das blitze não são divulgados para não prejudicar os trabalhos das forças de Segurança.

PRAÇA DA GENTILÂNDIA contará
com uma base da Prefeitura em
parceria com a Polícia Militar JULIO CAESAR
PRAÇA DA GENTILÂNDIA contará com uma base da Prefeitura em parceria com a Polícia Militar JULIO CAESAR
 

Ontem, após essa decisão, os comandantes da Polícia Militar responsáveis pelas Áreas Integradas de Segurança (AISs) foram chamados para reunião no Quartel do Comando Geral (QCG) em que repassaram aos oficiais informações sobre as mudanças.  

Para a colocação nas ruas dos policiais militares do administrativo, o previsto é que eles fiquem na atual função durante meio período e, no restante das horas de trabalho, atuem no policiamento ostensivo.  

Esse tipo de ação já tinha sido adotado no Batalhão de Choque, comandado pelo coronel Cícero Henrique.  

Apesar de a ação ter começado em um batalhão especial, não há previsão de outros batalhões especializados terem a mesma mudança determinada pelo comando, ficando restrita apenas às AISs. O POVO apurou, que, na Cavalaria da PM, de aproximadamente 160 homens, apenas 24 vão para a rua. Ontem, houve reunião entre o reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Henry Campos, e o governador. No encontro, foi definido que haverá intensificação de patrulhamento nos campi do Benfica e do Porangabuçu, além da instalação, prevista para maio, de uma Unidade de Segurança Integrada (Uniseg) no Campus do Pici.

JéSSIKA SISNANDO