VERSÃO IMPRESSA

Necessidade dos municípios

01:30 | 02/02/2018

[FOTO1]
Em Maracanaú, onde o espaço para construção do hospital, de 37.390m², já foi terraplano, existem menos de 200 leitos nas categorias cirúrgica, clínica, obstetrícia e pediatria. Conforme o secretário da Saúde do Município, Torcápio Vieira, em 2017, o Hospital da Mulher do Município realizou 713 partos de pacientes oriundas de Fortaleza. “A intenção do Governo é fazer o hospital que tenha sua demanda baseada em procedimentos que hoje há uma carência enorme. Um hospital com esse perfil (terciário) abrangeria vários procedimentos cirúrgicos de alta complexidade”, avaliou.


Conforme dados do Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde do Brasil, do Ministério da Saúde, existem 925 leitos nos 18 municípios que ficam mais próximos da Capital. Contabilizando leitos de cirurgia, clínicos, obstétricos e pediátricos. O presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Ceará (Consems-CE), Josete Tavares, pondera que o entorno metropolitano deverá, no futuro, se interligar. “Será um grande cinturão urbano. A ideia do Hospital Metropolitano tem a ver com o movimento de desenvolvimento urbano do futuro”, destaca.
 

Josete confirma a necessidade de um equipamento terciário na zona metropolitana. Porém, considera também que, diante das dificuldades, outras possibilidades podem ser pensadas. “Tem um segundo olhar, mais denso, concebendo a ideia de uma estrutura como essa em um ambiente de desenvolvimento de tecnologia e biotecnologia, como o que está se instalando no Eusébio”, ressalta, fazendo referência ao Polo Tecnológico e Industrial da Saúde (Pits), que tem como âncoras a unidade de ensino e pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e sua unidade de produção de vacinas, a Bio-Manguinhos.

TAGS