VERSÃO IMPRESSA

Fortalecer rede de juventude nas comunidades

01:30 | 05/02/2018


Existe uma rede de jovens, moradores dos territórios vulneráveis à violência em Fortaleza e no Interior do Ceará, que incluíram na pauta a discussão sobre a convivência com os conflitos impostos pelas facções nas comunidades. 


No último fim de semana, 50 moças e rapazes fizeram mais um módulo do curso de “Políticas Públicas e Participação Política”. Uma iniciativa do Centro Magis Inaciano de Juventude, da Congregação Jesuíta no Ceará, que durou seis meses.
Uma instrutora, moradora da Barra do Ceará, ouvida pelo O POVO, conta que ainda “não se encontrou, nas discussões, uma resposta para o enfrentamento” do que foi imposto pelas facções. Nem como se daria uma repactuação social.
 

Para ela “tem de se insistir na formação social da juventude.Contribuir com a consciência crítica deles e fortalecer mais as redes aqui e nas oito dioceses”, diz.
 

Ela conta que, ultimamente, tem sido difícil se reunir e se deslocar no próprio território onde se vive. As comunidades estão “faccionadas”. A alternativa, segundo a instrutora que por precaução falava baixo ao telefone, mesmo estando em casa, é se juntar às pessoas que têm “ânimo para ir na contramão da violência”. 

 

CEARÁ PACÍFICO

O POVO enviou perguntas, em 23/1, para Izolda Cela, vice-governadora e coordenadora do Ceará Pacífico. Não houve resposta.

TAGS