PUBLICIDADE
Jornal

Primeiros acusados sobre influência russa podem ser presos

Os promotores liderados por Robert Mueller, procurador designado para o caso Rússia, obtiveram uma ordem judicial contra pelo menos uma pessoa

30/10/2017 01:30:00

Os primeiros acusados na investigação sobre a participação da da Rússia na campanha presidencial de 2016 podem ser presos já nesta segunda-feira, 30, disseram pessoas familiares com o assunto, embora a natureza das acusações possam ser determinadas no decorrer da semana. Na última sexta, 27, os promotores liderados por Robert Mueller, procurador especialmente designado para cuidar do caso Rússia, obtiveram uma ordem judicial contra pelo menos uma pessoa. O time de Mueller obteve as acusações sob sigilo, segundo fontes.


Um porta-voz de Mueller se recusou a comentar. As pessoas familiarizadas com o caso se recusaram a identificar a pessoa ou pessoas que foram acusadas ou a especificar qual será a acusação


As acusações seriam as primeiras de uma investigação que Mueller assumiu em maio, com a sua nomeação pelo Departamento de Justiça como conselheiro especial. Isso após a demissão de James Comey como diretor do Federal Bureau of Investigation (FBI), determinada pelo presidente Donald Trump. Comey havia dito anteriormente que o FBI investigava se os membros da campanha de Trump de 2016 colaboraram com a Rússia para influenciar a eleição, e sua demissão aumentou a pressão pela nomeação de uma nova pessoa para supervisionar essa investigação.


A equipe de Mueller, que inclui 16 advogados especialistas em corrupção pública, fraude e segurança nacional, e mais de duas dúzias de agentes do FBI, vem apresentando provas a um júri federal convocado em Washington desde julho. Além de investigar a influência da Rússia nas eleições, Mueller investiga se Trump tentou obstruir a Justiça com a demissão de Comey, além de acordos corporativos de vários antigos assessores do Trump, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto.


Trump e seus advogados negaram qualquer obstrução e qualquer colaboração entre sua campanha e a Rússia. O presidente repetidamente rotulou a investigação de Mueller como uma “caça às bruxas”. A Rússia negou interferência na campanha.


Trump enviou neste domingo várias mensagens via Twitter que criticam os democratas e sustentam que a volta do tema Rússia serve como distração em relação à tentativa do Partido Republicano de aprovar uma reforma tributária. A proposta deve ser feita nesta semana. O advogado do presidente, Ty Cobb, disse em mensagem às emissoras CNN e Fox News que os tuítes “não tinham nada a ver com as atividades do procurador especial, com quem continua cooperando”.


Esta aceleração das investigações acontece enquanto Trump se aproxima do primeiro aniversário de sua eleição, em 8 de novembro.

Adriano Nogueira

TAGS