PUBLICIDADE
Jornal

O mercado político

07/07/2017 01:30:00

 
Henrique Araújo, editor-adjunto de Conjuntura


já trabalha com o cenário pós-Temer. Se, logo quando a crise provocada pela JBS estourou, o PSDB patinou sobre o apoio ao governo, decidindo após reunião permanecer na base, hoje é diferente. Os tucanos, liderados por Tasso, chegaram a dois consensos: Michel Temer é uma alma penada no Planalto. E o nome mais indicado para sucedê-lo é o do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Dois fatores são reflexos do isolamento de Temer: o PMDB, partido do governo, se rebela na Câmara. E Maia tem se mantido distante. 

Adriano Nogueira

TAGS