PUBLICIDADE
Jornal

Morre o jurista Aroldo Mota

21/06/2017 01:30:00
NULL
NULL

[FOTO1]
O jurista cearense Aroldo Mota, referência no Direito Eleitoral, morreu ontem, aos 84 anos, após complicações da doença degenerativa de Alzheimer. O velório do advogado teve início ontem à noite, na funerária Ternura, no bairro Aldeota, em Fortaleza.

 

Hoje, às 15 horas, está marcada a missa de corpo presente, no mesmo local. O sepultamento está programado para as 16h30min no Parque da Paz,
no Passaré.

 

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), lamentou a morte do jurista, destacando a importância de sua atuação na área eleitoral.

 

“A história eleitoral e a história política do Ceará têm na atuação de Aroldo Mota um capítulo muito especial”, disse RC.

 

“Como homem e profissional, esteve sempre à frente do seu tempo na elaboração e interpretação das teses e decisões da Justiça Eleitoral, além de ter sido um vigoroso militante político”, completou o gestor.

 

O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado estadual Zezinho Albuquerque, ressaltou o legado do jurista, que também exerceu mandato de deputado estadual.

 

“O Ceará perde um homem que deu importante contribuição para a política cearense e deixou um legado de trabalho para o povo do nosso estado. Aroldo Mota também deu uma grande contribuição à democracia como jurista atuante na área do Direito Eleitoral”, comentou.

 

O vereador Guilherme Sampaio (PT), co-autor da proposta que resultou na concessão do título de Cidadão de Fortaleza a Aroldo Mota, nascido em Tauá, destacou a importância do jurista na evolução do Direito Eleitoral no Ceará e no Brasil.

 

“Ele é um ícone de uma geração de juristas, muito importante na história política do País. Aliava consistência na técnica jurídica com elegância do argumento e firmeza nas posições”, afirmou.

 

Para a advogada Isabel Mota, que atuou no escritório de Aroldo por seis anos, o jurista é o “pai” do Direito Eleitoral. “Ele criou a classe eleitoralista aqui no Ceará, é uma referência como padrão moral e ético”, disse.

 

Por nota, a OAB-CE lamentou a morte do jurista como “a perda de um dos profissionais mais respeitados do Direito no Ceará, e manifesta profundos sentimentos à família e amigos”. (Lucas Mota)

 

Adriano Nogueira

TAGS