PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Sobre duas rodas

No mundo do motociclismo, liberdade e segurança devem andar de mãos dadas. A partir de 2019 todas as motos devem ter sistema ABS e CBS

01:30 | 06/12/2018

DECO, empresário, conta sobre a relação aspiracional que construiu com a Boulevard  ALEX GOMES
DECO, empresário, conta sobre a relação aspiracional que construiu com a Boulevard ALEX GOMES

Vento no rosto, cheiro da natureza, companheirismo. A constante busca pelo senso de liberdade é o que parece unir a comunidade de motociclistas no Ceará. Foi assim com André Barros, ou melhor, Deco. O empresário entrou nesse mundo por acaso e nunca mais saiu.

 

A ida por curiosidade a uma festa temática foi o primeiro contato de Deco com esse estilo de vida. O companheirismo e a irmandade entre os motociclistas, assim como o respeito aos moto clubes encheu os olhos do aspirante. "Em motociclismo, no geral, existe muito respeito entre as pessoas. Basta você ver quando existe algum acidente de moto na cidade, todo mundo de moto vai dar um auxílio", afirma Deco.

 

Nesse cenário, liberdade e cuidado não podem andar separados. Considerando a necessidade de aperfeiçoar e atualizar os requisitos de segurança do veículo e de garantir a proteção de condutores e passageiros, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) tornou obrigatório que as motocicletas zero quilômetros apresentem a instalação do sistema antitravamento das rodas (ABS) ou do sistema de frenagem combinada das rodas (CBS). A resolução, de 2016, estabelecia a obrigatoriedade da medida para apenas 10% da quantidade de produção ou importação dos veículos, aumentando gradativamente para 30% em 2017 e 60% neste ano. Em 2019, a medida prevê que 100% dos produtos devem estar dentro da regra.

 

"Com os novos freios, o piloto consegue sentir a moto freando sem derrapar os pneus, sem travar, pois se travasse, como ocorria antigamente, o piloto viraria passageiro em cima do veículo", explica o presidente da Federação de Motociclismo do Ceará, Savio Azevedo. A expectativa é de que o mercado fique ainda mais aquecido com a aplicação da medida. Ele afirma que as mudanças tornam os veículos mais atrativos e seguros, incentivando o consumo do produto e até quebrando paradigmas quanto ao quesito segurança de motos frente a pessoas que ainda questionam veementemente esse aspecto do veículo.

 

Savio ainda revela que, apesar de ser uma melhoria significativa na qualidade das motos, o consumidor não deve sentir o bolso pesar na hora de comprar o produto. "A gente não têm visto grandes impactos no preço final dos veículos porque a tecnologia tende a ficar mais barata. A diferença é mínima comparada à segurança que proporciona, não existe benefício maior do que isso", indica Savio.

 

Apesar de concordar com a melhora significativa na segurança da população a partir da medida do Contran, o especialista técnico-automotivo do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Carlos Neves, teme pelo futuro do mercado cearense de motociclismo, maior do Nordeste e terceiro do Brasil. O profissional aponta que, desde 2015 até 2020, a projeção para a área era  de crescimento em dobro. No entanto, tais medidas do Contran causariam o enfraquecimento dos negócios, uma vez que as fábricas não conseguiriam acompanhar as novas regras colocadas pelo Governo. "O maior fabricante hoje, no Brasil, é a Honda, e ela está com essa dificuldade", afirma Carlos.

 

O especialista acredita que tais mudanças devem ser feitas com a maior cautela. O ideal seria a determinação de um novo prazo no próximo Governo para que as fábricas possam se adequar ao cenário. Caso contrário, Carlos declara que as empresas certamente fecharão as portas. O profissional sugere, ainda, que a fiscalização eficaz desse meio por parte dos órgãos competentes é o primeiro passo para a construção de um cenário no motociclismo verdadeiramente seguro.

 

O que diz o Contran

 

ABS

 

Sistema composto por uma unidade de comando eletrônico e sensores de velocidade das rodas que tem por finalidade evitar o travamento das rodas durante o processo de frenagem

 

CBS

 

Sistema que distribui proporcionalmente a força de frenagem para as rodas garantindo uma desaceleração rápida e segura, independente dos sistemas serem dotados de disco ou tambor

 

multas segundo o Detran

 

Ausência de capacete condutor de moto - gravíssima, 7 pontos na CNH, R$ 293,47

 

Ausência de capacete para passageiro da moto - gravíssima, 7 pontos na CNH, R$ 293,47

 

Criança em motocicleta abaixo de 7 anos - gravíssima, 7 pontos na CNH, R$ 293,47

 

Faróis apagados - gravíssima, 7 pontos na CNH, R$ 293,47

 

Mais de um passageiro - média, 4 pontos na CNH, R$ 130,16

 

O Harley e a Harley

O amor por moto veio desde o berço. Quando o pai do psicólogo Harley Cavalcanti o batizou com esse nome, mal sabia o quanto estava contribuindo para uma grande paixão nascer. Lendária, a empresa de motos Harley Davidson foi fundada em 1903, nos Estados Unidos, e encanta motociclistas ao redor do mundo até os dias de hoje. É o caso de Harley, seu xará.

 

Assim como Deco, o mundo do motociclismo fisgou Harley pela leveza. "A primeira vez que a gente anda de bicicleta, que sente o vento no rosto, que dá para sentir os cheiros da estrada, da grama e do mato? acho que é esse sentimento de liberdade que todo ser humano procura e que a gente acha quando está andando de moto. É talvez uma coisa que já nasça com a gente", reflete o psicólogo.

 

Harley afirma que sua moto, uma Sportster 1200 Custom Harley-Davidson,  vem de uma linha na qual a primeira motocicleta foi produzida há cerca de 60 anos. Seguindo o estilo vintage, ele explica que as motos Harley foram feitas para serem customizadas a bel prazer, proporcionando um profundo vínculo afetivo entre piloto e veículo.

Maikon Douglas, 22, consultor de vendas da loja Clínica dos Capacetes em Messejana ALEX GOMES
Maikon Douglas, 22, consultor de vendas da loja Clínica dos Capacetes em Messejana ALEX GOMES
 

GANHE UM CAPACETE

Você quer ganhar um capacete novinho em folha? Envie para pop@opovo.com.br uma boa história sobre duas rodas! Pode ser até do tamanho de uym tweet, a melhor histórinha ganha o capacete!

 

A paixão pela Boulevard

Foi em cima de uma moto que o empresário André Barros, mais conhecido como Deco, encontrou a liberdade. O companheirismo, o respeito e a leveza que ele encontrou nessa realidade construíram sua trajetória com o mundo do motociclismo permeada de muito afeto. "Montando minha empresa, eu tive que vender minha moto, uma Boulevard. Isso me deixou muito mal, eu não queria me desfazer de jeito nenhum. Era uma moto que eu sempre sonhei quando mais novo. Foi minha segunda moto, eu comecei com uma bem mais antiga para poder chegar nela. Então foi uma conquista que eu tive que me desfazer para conquistar outras coisas", relembra Deco, com carinho.

 

O vínculo afetivo pele veículo permaneceu e hoje o empresário é dono de uma Boulevard 1500 da Suzuki. Mesmo mais nova e com maior cilindrada do que a do passado, Deco continuou fiel ao estilo de moto que tanto desejou. Com a escudeira sempre ao lado, há seis anos o empresário faz parte da Confraria Crows, grupo fundado por 11 amigos apaixonados por motos e pela liberdade que o estilo de vida proporciona. "Existe uma relação de reciprocidade, de irmandade muito forte. A gente se relaciona como se fosse uma família", relata Deco.

 

Produtos

 

Vacina para pneus (proteção contra furos) - a partir de R$ 33

Baú 45L - R$ 330 (os baús variam entre 26L e 47L)

Jaquetas - a partir de R$ 299

Luvas - variam entre R$ 99 e R$ 300

Capacetes - variam entre R$ 52 e R$ 3000 (Capacetes de fibras de carbono são acima de R$ 1000)

 

"Segurança nunca é demais" 

 

Para além de medidas voltadas aos veículos, adquirir equipamentos de proteção para pilotos e passageiros não deixa de ser essencial. "Segurança nunca é demais", é o que acredita Savio Azevedo. O presidente da Federação de Motociclismo do Ceará garante que o desenvolvimento de novas tecnologias tem aprimorado os itens de seguranças utilizados no meio de transporte. Ele indica que, nesse aspecto, o consumidor tem que ficar atento não só aos preços dos produtos, mas também ao que cada fabricante dispõe no quesito qualidade.

 

Fundado em 1996, a loja Clinica dos Capacetes tem acessórios e artigos para motociclistas. De acordo com o gerente da empresa, Vicente Júnior, equipamentos como capacetes, jaquetas, vacina para pneus, baús, luvas e botas são alguns dos tipos de artigos mais procurados pelos consumidores. 

 

Entre estes, o profissional destaca o capacete de fibra de carbono, mais leve que o tradicional, e a jaqueta com airbag, itens mais trabalhados que aprimoram a segurança do piloto e fazem valer a pena o valor inicial investido pelo consumidor.