PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Menos émais

É possível ter uma decoração minimalista e ainda sim ter uma casa aconchegante e confortável, de modo, que não faltem móveis?

25/05/2019 06:52:08
.
. (Foto: gettyimages/onurdongel)

Diferente do que muitas pessoas pensam, o estilo minimalista não significa viver no mínimo, segundo a arquiteta Luara Ciarlini e o designer de interiores Paulo Rolim, sócios-diretores da Lunar Arquitetura e Interiores. Eles salientam que, de fato, há pessoas que aderem a uma forma de viver sem excessos por questões ideológicas. Na verdade, o minimalismo busca diminuir exageros, para criar um ambiente clean, limpo e agradável. "Muitas vezes pecamos pelo excesso e aquilo que deveria ficar elegante fica exagerado e brega", diz a arquiteta. A essência da Arquitetura e Design, de acordo com os profissionais, "é projetar ambientes que unam função, conforto e estética." Logo, este tipo de decoração deve mesclar esses três aspectos, conforme Paulo: "podemos, sim, ter um ambiente minimalista e ainda assim ter cadeiras para nossas visitas."

 

Os pallets ainda são tendência?

Os pallets já tiveram seu momento de destaque. Seu uso é vantajoso, além de econômicos, são sustentáveis, ou seja, podem ser reaproveitados. A arquiteta Luara Ciarlini lembra que eles exigem uma manutenção com um certo cuidado. Podem ser usados em projetos industriais, áreas externas e para decoração de empresas mais "descoladas" que trabalham com endomarketing. O seu uso caiu, mas os pallets ainda são utilizados em alguns projetos, segundo a arquiteta.

Quais são as dicas para recém-casados que querem economizar na decoração?

Paulo Rolim, designer de interiores, diz que, neste caso, o estilo minimalista é um aliado para o projeto. Uma vez que os recém-casados são jovens em início de carreira, já fizeram investimentos grandes, tanto na compra do imóvel quanto na cerimônia. Ele ressalta que esse tipo de decoração combina com os jovens casais, pois é descolado. Uma das dicas que ele dá é sobre os puxadores de gavetas e portas: em vez de comprar separado, pode ser feito no próprio móvel.

Decoração em MDF, vale a pena investir?

O uso do MDF (Medium-Density Fiberboard, ou placa de fibra de média densidade em tradução livre) na decoração está ligado aos móveis planejados. O designer de interiores Paulo Rolim diz que há uma procura grande por essa forma de decorar, visto que o projeto é personalizado, logo, diretamente ligado ao perfil do cliente. Assim, o mercado do MDF cresce e "está presente na maioria das residências e empresas". "Ele se tornou um grande aliado para os arquitetos e designers para que possam desenvolver projetos de acordo com o perfil do cliente, entendendo a forma como ele usa aquele espaço", diz Paulo. Portanto, vale o investimento no MDF, "desde que feito por profissionais bons e empresas confiáveis", aconselha o designer.

O Povo

TAGS