PUBLICIDADE
Jornal

Portarias inteligentes

Ao substituir porteiros por tecnologia virtual, condomínios reduzem em até 50% os custos de administração

16/03/2019 02:16:00
O SÍNDICO Pablo Medeiros diz que economiza R$ 7 mil por mês com portaria virtual
O SÍNDICO Pablo Medeiros diz que economiza R$ 7 mil por mês com portaria virtual (Foto: Mauri Melo/O POVO)

Os gastos elevados com pessoal, principalmente, e a preocupação com segurança, favorecem uma modalidade relativamente nova no Estado: as portarias virtuais ou remotas. Aproximadamente 95% das unidades residenciais e comerciais em Fortaleza e na RMF ainda mantêm a portaria orgânica, feita por funcionários na cabine, mas com as novas tecnologias, esse número deve ficar cada vez menor.

Há cerca de um ano, os moradores de um condomínio de 42 casas, no Eusébio, contrataram o serviço de portaria remota da Servis, o que gerou uma economia mensal de R$ 7 mil a R$ 8 mil. "Para começar, montamos uma viabilidade econômica e conseguimos ver o resultado econômico mês a mês. A gente viu que mão de obra é muito caro, é 80% do custo do condomínio. No que diz respeito à mão de obra, foi 50% de redução do valor, a gente pagava quase R$ 14 mil", explica o síndico Pablo Medeiros, 46.

Agora, o condomínio possui empregados apenas para os demais serviços relacionados à limpeza e manutenção das áreas comuns (gramado e piscina). "Tem ainda as vantagens de segurança, tem o botão antipânico, as filmagens praticamente full time. Quem é de fora não percebe se tem uma pessoa ou não (na guarita)", frisa.

O visitante não nota a falta de alguém na cabine porque, de fato, há funcionários disponíveis 24 horas para atendê-los, mas eles ficam nas sedes das empresas de segurança. De lá, controlam a abertura dos portões de pedestres e de carros, sempre em contato direto com os moradores, seja por smartphone, seja por interfone.

A portaria virtual, inclusive, garante algumas vantagens em relação à orgânica nas situações de perigo. "Se você tem um porteiro presencial e um bandido mostrar um revólver, ele abre na hora, e isso você faria, eu faria, todo mundo faria. Na remota não acontece, porque nossos funcionários estão no bunker, altamente seguros", exemplifica Helder Macedo, o CEO da Locktec, que desenvolve tecnologia própria em parceria com o IFCE.

A Servis já teve um aumento de mais de 100% na contratação de portaria virtual no Estado, em 2018. "Em um universo de seis mil condomínios residenciais e comerciais, aproximadamente 5% do mercado hoje conta com esse sistema, é um número interessante, porque existe perspectiva de crescimento muito grande. A tendência é que daqui a 20 anos a figura do porteiro não exista mais", analisa o diretor executivo da empresa, Gilberto Dias.

Em média, o custo de uma portaria virtual pode variar de R$ 4.500 mil a R$ 9 mil, de acordo com a quantidade de equipamentos instalados e o número de moradores (pois isso demanda mais operadores). Além de sistemas de câmeras e alarmes, outros serviços são oferecidos em pacotes, como monitoramento tático, ronda virtual, sensor de esmagamento etc.

Helder também apresenta a solução para quem tem receio de que idosos, crianças ou pessoas com deficiência fiquem largadas: rastreadores móveis. As câmeras ainda detectam massas de calor e, através da central, é possível acionar todos os moradores de uma só vez quando necessário, "enquanto o porteiro levaria muito mais tempo para ligar de um por um".

E se um carro desconhecido entrar logo após o outro no condomínio, o chamado "sensor de carona" emite um alerta, explica Dias. "O sistema funciona como apoio, o morador consegue liberar o acesso através da biometria, de tag ou de smartphone, com chave virtual", completa o diretor executivo.

CONTRAS DA PORTARIA VIRTUAL

- Não substitui o contato humano da conhecida figura do porteiro na vida do condomínio;

- Requer energia e conexão com a Internet;

- Também está sujeito a falhas técnicas;

- Interação com encomendas mais difícil;

- Necessita do envolvimento de toda a coletividade para adaptação.

20%

É a porcentagem de condomínios com portaria virtual no Brasil, informa o vice-presidente de Condomínios do Secovi-CE, Wilson Braga

Quem faz e quanto custa

Coretec - Portaria Virtual Remota

Rua Lídia Brígido, 144 - Parque Manibura

Telefone: (85) 3085-4522

Preço médio: R$ 4.500 a R$ 6 mil

Daniel Fernandes Cunha, diretor comercial: "Fazemos uma vistoria técnica da parte física do condomínio e, no orçamento, levamos em consideração número de portões, número de unidades, e a localização, porque visamos à logística de atendimento, em qualquer horário."


Hiseg Soluções Tecnológicas

R. Melo César, 353

Telefone: (85) 3120.8179

Preço médio: R$ 5 mil a R$ 7.500

Harisson Júnior, sócio-diretor: "Desde 2014 trabalhamos com portaria virtual, ninguém acreditava que ia dar certo. Hoje estamos com 60 portarias virtuais, a gente já economizou mais de R$ 6 milhões em todos os nossos condomínios. Algumas coisas que perguntam muito é se faltar energia: garantimos o funcionamento em até três horas, com os nossos nobreaks, se passar desse tempo enviamos o porteiro físico."


Locktec Tecnologia Integrada

Telefone: 4020-7788/0800 009 5885

Preço médio: R$ 4.500 mil a R$ 9 mil

A empresa coordenada pelo cearense Helder Macedo também possui unidades fora do Estado, no Rio Grande do Norte, em Pernambuco, no Piauí, na Bahia, no Rio de Janeiro e em São Paulo. A Locktec realiza, aos sábados, café da manhã para apresentar a tecnologia da portaria remota. "Basta ligar e marcar, a gente mostra toda nossa estrutura, sem custos."


Servis

Telefone: 4020-6400

Preço médio: R$ 5.200 a R$ 6.500

As encomendas recebidas são encaminhadas aos moradores e também guardadas por zeladores, mas a Servis pretende oferecer um guarda-volumes automatizado. "No Sul do País, esse armário digital já está sendo oferecido. Tudo é codificado e liberado pela central, aí o morador pode retirar eles mesmo o pacote", diz Gilberto Dias, diretor executivo.

5%

É a porcentagem de condomínios com portaria virtual no Ceará, informa o vice-presidente de Condomínios do Secovi-CE, Wilson Braga

TIPOS DE ACESSO

- Biometria digital,

- Sistema de reconhecimento facial

- Aplicativo no celular

- Chave virtual

- Tag (chaveiro)

ADEUS, TAXA EXTRA!

Com a economia gerada pela portaria virtual da Locktec, instalada em agosto de 2016, o condomínio de 40 apartamentos que a síndica Tereza Alves do Nascimento administra, no bairro Papicu, teve quedas consecutivas nas taxas. "Pagávamos em torno de R$ 12 mil, eram quatro porteiros e um zelador. A despesa passou para R$ 7.500, e isso fez com que não subisse. Já estou no segundo mandato, desde então não tivemos nenhuma alteração de taxa do condomínio, em torno de R$ 450", comenta. A economia foi tão satisfatória que as pessoas antes contrárias à mudança hoje indicam para os familiares.

AMANDA ARAÚJO

TAGS