PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Desenvolvimento do pensamento computacional

A estratégia para modelar soluções e resolver problemas de forma eficiente

11/06/2019 00:00:11

Os desafios contemporâneos que permeiam o campo educacional são diversos, entre eles está o fato dos educandos estarem ou não aprendendo conteúdos relevantes para a sociedade e desenvolvendo competências e habilidades consideradas necessárias às práticas sociais, à continuidade dos estudos e ao trabalho, conforme se estabelece na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB 9.394/96.

Frente à chamada revolução industrial 4.0, ao envelhecimento da população e à mudança climática, mudanças significativas vêm ocorrendo no mundo do trabalho que refletem na criação de novas ocupações diante da automação e da robotização aceleradas. O que significa novas aprendizagens que a escola precisa desenvolver.

Neste cenário, a escola precisa construir novas competências distintas das que estavam em alta até pouco tempo, o que envolve novas aprendizagens, entre elas, o desenvolvimento do pensamento computacional que se manifesta de diferentes formas no cotidiano da sociedade.

Neste sentido, o pensamento computacional é uma estratégia para modelar soluções e resolver problemas de forma eficiente e, assim, encontrar soluções genéricas para classes inteiras de problemas.

Para desenvolver essa competência, grandes desafios são lançados para a escola, desde adaptação da sua estrutura física, com a construção de laboratórios, à introdução em sua proposta curricular de conhecimentos aplicados à tecnologia que desenvolva o pensamento computacional e, sem dúvida, a formação de profissionais para lidar com novas metodologias de ensino, tornando o aprendizado de crianças e adolescentes mais significativos. 

A escola que se propõe a desenvolver o pensamento computacional em seus alunos precisa inserir em seu currículo a programação computacional, que consiste em solucionar problemas utilizando o computador e sua capacidade de processamento de dados e informações como aliados. No universo da computação, programar significa criar soluções, como jogos, animações e aplicativos digitais, para resolver problemas diversos, situações essas que estão muito próximas das realidades dos nossos alunos.

No livro Mindstorms: children, computers and powerful ideas (1980), o pesquisador Seymour Papert, pioneiro no uso do computador como ferramenta de aprendizagem, definiu a programação de computadores como a ação de comunicação entre usuário e máquina por meio de uma linguagem que ambos entendem. 

Assim como existem diversas linguagens de comunicação verbais e não-verbais, diferentes linguagens de programação têm sido desenvolvidas para diversos contextos e aplicações como base estruturas lógico-matemáticas bastantes similares.

Assumindo a programação como uma prática pedagógica, um dos resultados esperados dessa ação de forma estruturada é o desenvolvimento do que se pode chamar de pensamento computacional.

A escola pode atuar para facilitar a compreensão dessa nova linguagem e, assim, fomentar a capacidade criadora do aluno como produtor de tecnologia. A tecnologia possibilita a criação de projetos interdisciplinares em que os conteúdos de português, matemática e outras disciplinas sejam aplicados a problemas da realidade.

Portanto, precisamos de uma educação pensada para criança e adolescente que os envolva no processo ativo de aprendizagem.

Cesar Wagner
Gonçalves Siqueira

Pedagogo - IFCE campus
Boa Viagem

Mestre em Avaliação
de Políticas Públicas

O Povo