PUBLICIDADE
Jornal

Entrei para faculdade. E agora?

Confira dicas para você aproveitar ao máximo a universidade e já impulsionar sua carreira

21/01/2019 01:30:00
NULL
NULL

[FOTO1]

Entrar para universidade já é um caminho desafiador por si só. Quando se cruza a linha da aprovação, um novo impasse surge para os estudantes: como se inserir no mercado de trabalho. Enfrentando por vezes a falta de experiência, a grande dica é aproveitar a faculdade ao máximo.

 

A estudante de fisioterapia Ana Isabel Buson, 23, entrou na faculdade em 2013 "sem experiência profissional", lembra. Hoje, no nono semestre, ela coleciona artigo publicado, estágio e presença em projetos, congressos e simpósios. "Com essas participações, comecei a montar meu currículo, tanto o lattes como o profissional. Como na fisioterapia você só pode, por lei, estagiar a partir do sétimo semestre, enquanto eu não podia atuar fui me capacitando", diz.

 

A estudante participou de projetos de extensão como a Clínica da Dor, da Unifametro, e o "Fametro nas praças", ambos levam atendimento gratuito à população em um determinado bairro da cidade; além de eventos acadêmicos na área da saúde. "Procurei participar dessas atuações também para ficar mais desinibida. Desde então ficou mais fácil trabalhar com o público e ser menos envergonhada", destaca. Atualmente, Isabel estagia no Abrigo Tia Júlia, ligado a Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social, onde atende crianças em situação de risco pessoal e social.

 

Para a orientadora profissional e professora de Psicologia da Unifor, Roberta Cavalcante, a primeira chave para um início de carreira bem sucedido é o autoconhecimento. Segundo ela, é importante que os estudantes conheçam antes as profissões e saibam identificar aquela que mais bate com seus gostos e habilidades. "É furada que o aluno olhe só para o mercado, porque uma profissão que está em alta hoje pode não estar quando ele concluir o curso. O mais importante é que ele tenha um repertório maior de profissões para identificar o que mais o chama atenção", sugere. Segundo Roberta, a falta de harmonia entre estudante e o curso é o que pode causar a famigerada frustração.

 

Por outro lado, quando essa combinação dá certo, é hora então de preparar o terreno para o mercado. "Desde o primeiro momento em que o estudante coloca o pé na faculdade, ele tem de ser o protagonista. Ter uma busca ativa, fazer parte de projetos, fazer estágios e se conectar a outras pessoas para que ele consiga se desenvolver. A faculdade dá conta de uma parte, o estudante tem que complementar fora", diz Roberta.

 

E para encarar o mercado é preciso estar minimamente preparado. Segundo Karol Mota, gestora do Unifor Carreiras, uma dúvida frequente dos alunos no período de graduação é na hora de montar o currículo, já que muitas vezes a falta de experiência causa preocupação. "É importante que o aluno coloque no currículo atividades que agreguem para aquela vaga e para o que o candidato quer fazer. Coloque suas habilidades artísticas e trabalhos de voluntariado porque dão um tom de sensibilidade que o mercado quer. E a dica de ouro é honestidade: coloque só aquilo que você tem e sabe fazer", frisa.

 

Com a escolha da profissão decidida e currículo em mãos, é hora de procurar estágio. A atividade é importante porque é a etapa de colocar na prática o que está sendo aprendido em sala de aula. "É no estágio onde o estudante vai montar a rede de relacionamentos profissionais e vivenciar o mais próximo da realidade de mercado", conclui Nayana Ferreira, psicóloga e orientadora de carreira.

 

Dicas

 

1. Faça trabalhos voluntários e comunitários. Não necessariamente que deem certificados. Atividades no seu bairro e na sua igreja, por exemplo, podem ajudar. O que a empresa irá ver são os valores e seus objetivos como profissional.

 

2. Participe de grupos de estudo. Se não tiver nenhum do seu interesse, monte seu próprio grupo periódico. Fale com os coordenadores e professores do curso para ajudar a organizar.

 

3. Entre em programas de monitoria. Você ganha experiência em ensinar e cria relacionamentos mais próximos com os professores. Mais na frente isso poderá ajudar para que seu nome seja indicado por eles a uma vaga de trabalho.

 

4. Procure estágios na sua área por meio de agências das universidades, em programas como o CIEE ou no site empregosecarreiras.opovo.com.br. Bolsas na própria instituição também são uma boa.

 

5. Aprenda a montar seu currículo. Cada atividade dessa - voluntariado, grupos de estudo, monitoria e estágio - conta pontos. O documento deve ter no máximo duas páginas e sempre com informações de acordo com a vaga desejada.

 

Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE)

 

A associação sem fins lucrativos conta com diversos programas de aprendizagem e estágio para estudantes.

Endereço: Avenida Barão de Studart, 2360, Dionísio Torres.

Telefone: (85) 3003.2433

Site: portal.ciee.org.br

luan carvalho

TAGS