PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Profissão que molda o mundo

Hoje é o Dia do Designer gráfico. Confira as perspectivas acadêmicas e de mercado da área que soluciona problemas com criatividade

01:30 | 05/11/2018
Alysson Reis, presidente da Associação Ceará Design, fala da atuação dos profissionais  FABIO LIMA
Alysson Reis, presidente da Associação Ceará Design, fala da atuação dos profissionais FABIO LIMA

A cadeira que você está sentado, sua roupa e o jornal que você está lendo agora mesmo foram desenhados por um designer. O profissional, que reúne praticidade e criatividade em produtos, plataformas e em serviços, enfrenta o desafio de criar soluções em meio a uma sociedade que muda o tempo inteiro. Hoje, 5 de novembro, é o Dia Nacional do Designer Gráfico.

"O design mudou muito nos últimos anos. Uma profissão que estava voltada para o desenvolvimento de produtos, imagens e ambientes, hoje é chamada a abordar os problemas de maior complexidade, entender os anseios das pessoas antes de propor alguma coisa", destaca Eduardo Barroso, designer mineiro com um pé no Ceará. Ele foi responsável pelo primeiro curso de Design no Estado, o Centro de Design do Ceará, que formou duas turmas (em 1997 e 2000) e está orientando a candidatura de Fortaleza a integrar a Rede de Cidades Criativas da Unesco.

Segundo Eduardo, a qualidade é o que move a competição no mercado de Design hoje. "É importante saber quais elementos diferenciam o produto e esses elementos é a cultura que nos dá", acredita. Na busca pela diferenciação, o designer destaca tendências como a regionalidade cada vez mais forte nas criações e a responsabilidade ambiental. "A tarefa das escolas de Design é formar os alunos com uma visão humanista, colocar o ser humano no centro de suas preocupações, que não tenham uma abordagem consumista de colocar produtos desnecessários no planeta", afirma.

A graduação em Design no Estado é relativamente nova, enquanto cursos técnicos já existam há mais de 20 anos. Na Universidade Federal do Ceará, surgiu em 2012, curso de quatro anos. "A graduação vai muito além da perspectiva técnica, ela faz pensar criticamente sobre a realidade. O Design transcende o mercado, é próprio do fazer humano", diz Camila Barros, coordenadora do curso de Design da UFC. O curso, que integra Design Gráfico e Produtos, foi o melhor do Brasil na última avaliação do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), em 2015, e está entre os 10 melhores do País no Ranking Universitário Folha 2018. Design de Moda da UFC é o segundo melhor no Ranking.

Alguns dos caminhos mais comuns para os novos designers, segundo o presidente da Associação Ceará Design, Alysson Reis, são: "Quando um estudante está se formando, ou ele se torna um freelancer ou presta serviços ao mercado ou abre um escritório, uma agência de publicidade, de marketing." Com 18 anos de mercado, Alysson hoje está à frente da Abracadabra Design, escritório premiado com IF Design Award, em 2015, Prêmio Lusos, em 2014 e 2015, dentre outros.

E num mundo cada vez mais conectado e com comportamentos tão diferentes, surgem novas atuações de mercado, como o designer focado na experiência do usuário (UX Designer) e o designer digital, carreiras consideradas atualmente bastante promissoras. As mais tradicionais se reinventam - Design de moda, de interiores, de embalagens e gráfico. "Na medida em que os comportamentos e a tecnologia vão evoluindo, o Design vai se adaptando. Surgem novas oportunidades na área e isso pede que os profissionais também sempre busquem se adaptar. Tem que evoluir junto", indica.

Para além do desenho de produtos, hoje a inteligência do Design é levada a moldar até modelos de negócios. Alysson afirma que é cada vez mais comum que empresas contratem designers para solucionar problemas que não estão ligados a habilidades artísticas. "O designer vai construindo soluções para o negócio ir se adaptar ao público-alvo. É uma atuação que tem impacto enorme no Ceará, um estado que vive do serviço", diz.

Mercado 

Confira algumas áreas de atuação do Designer e a média salarial no Brasil, segundo o Guia de Profissões Catho.

Designer de produtos

Cria produtos levando em conta o material a ser utilizado, a ergonomia, tamanhos e estética. É um profissional que também acompanha os processos de fabricação e comercialização deste produto.

R$ 2.759,34

Designer de embalagens

Trabalha na criação da identidade visual dos produtos (tipografia, foto, logo etc.). É importante ter conhecimento de legislação para rótulos.

R$ 2.027,99

Designer digital

Desenvolve a criação e estética de sites, jogos virtuais, softwares e outras plataformas digitais.

R$ 2.689,82

Designer de interiores

Une estética e bom aproveitamento do espaço na composição de móveis e objetos em um ambiente.

R$ 2.140,10

Rede de Cidades Criativas da Unesco  

A Unesco conta com uma rede de 180 cidades de 72 países que possuem as melhores práticas em desenvolvimento urbano sustentável e inclusivo. A rede abrange sete campos criativos: artesanato e artes populares, artes de mídia, cinema, design, gastronomia, literatura e música.

A cidade de Fortaleza busca entrar na lista próximo ano. "É preciso montar um dossiê do que a cidade fez nos últimos cinco anos e o que ela pretende fazer nos próximos cinco. São projetos com três caráteres: inovadores, impactantes e compartilháveis", conta o designer Eduardo Barros, à frente da candidatura de Fortaleza à lista.

 

LUAN CARVALHO