PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Conexão no Brasil

01:30 | 08/10/2018
Thomas Reeves
Formado em Administração pela Fa7 (hoje Uni7). Garante que a experiência é prática. Vem das feiras que visita e pesquisas próprias sobre o mercado. Hoje diz estar focado em estudar o produto que vende, entrando em contato com a natureza e cursos na área de jardinagem Camila De Almeida
Thomas Reeves Formado em Administração pela Fa7 (hoje Uni7). Garante que a experiência é prática. Vem das feiras que visita e pesquisas próprias sobre o mercado. Hoje diz estar focado em estudar o produto que vende, entrando em contato com a natureza e cursos na área de jardinagem Camila De Almeida

Com oito anos no mercado, a empresa de plantas ornamentais Naturayo sempre atuou no mercado internacional. Os produtos eram exclusivos para comércio exterior inclusive. No entanto, tiveram de investir no mercado nacional para superar a crise econômica, conta Thomas Reeves, 30, proprietário da Naturayo.

A estratégia ajudou a empresa a seguir aqui e lá fora. Hoje o mercado internacional representa 35% do faturamento da empresa, de acordo com Thomas. Segundo ele, são 20 mil plantas vendidas por mês para o exterior, o que representa um aumento de 15% do último ano para cá.

"A gente conseguiu aumentar os mercados. Antes trabalhávamos só para Europa, agora abrimos para o Canadá, Estados Unidos e no Japão já está começando. Coreia e mais países asiáticos estão de olho", conta Thomas. Lança de São-Jorge e Abacaxi Ornamental são as favoritas dos gringos.

Dentre as ações da empresa estão visita à feiras do segmento e vendas pela internet. Os envios são aéreos e marítimos, com custos que, segundo o empresário, variam muito, pelo tipo de produto, quantidade, país de destino etc.

"No mercado de fora, a gente tem que atender a jurisdição do destino. Cada país tem seus requisitos, alguns não podem ser enviados certos tipos de material, precisam de um substrato específico, por exemplo. É importante também a marca trabalhar de forma física, criando relacionamentos com os clientes de lá", sugere Thomas. Ele destaca ainda que as redes sociais são grandes aliadas na divulgação dos produtos.

No Brasil, a empresa é parceira da Veiling, cooperativa de plantas ornamentais que permite levar os produtos da empresa a todas as regiões do País. É a única produtora de plantas em vaso do Nordeste sócia e fornecedora da cooperativa, segundo o portal da Naturayo. "Nossa produção tem uma estética que agrada aos dois mercados (nacional e internacional). Você tem que achar o produto certo e ser de qualidade para chegar a vários lugares", indica.