PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Sucesso feito à mão

A designer de moda Joana de Paula traz o artesanato para peças sofisticadas de crochê

01:30 | 07/05/2018
ACREDITAR A primeira marca de Joana demorou quase dez anos para se tornar conhecida  VITÓRIA ADERALDO/ESPECIAL PARA O POVO
ACREDITAR A primeira marca de Joana demorou quase dez anos para se tornar conhecida VITÓRIA ADERALDO/ESPECIAL PARA O POVO

Linha para cá, agulha para lá. O crochê, que era marca registrada das vovós, não fica mais restrito a tapetes e pequenos acessórios decorativos. Ele ganhou o mundo da moda. Em 2005, a designer Joana de Paula, 43, desembarcou no Ceará com a intenção de se reinventar. “Eu já queria sair um pouco da moda pela moda. Eu não queria só vender roupa. Queria que tivesse algum sentido nesse trabalho”. Foi quando deu início com uma sócia à marca de bolsas de crochê Catarina Mina.

Joana é formada em Moda pelo Senai Cetiqt (Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil) do Rio de Janeiro. Fez cursos de curta duração e, no Fashion Institute of Technology em Nova York, psicologia das cores, desenho de computação e história da indumentária. Para ficar por dentro dos aspectos financeiros, fez curso de preço no Sebrae e Peiex, programa de qualificação para exportação. “A minha formação não é de administradora, é de designer. Aí, eu acho que a gente tem que buscar complementos nessa parte, que pode ser a mais fraca ou não. Você tem que se organizar bem e acompanhar, mesmo que você ache chato”, sugere Joana.

&nsbp;
Em 2014, decidiu criar a marca própria, Jô de Paula, acrescentando roupas sob medida. Já em dezembro de 2017, lançou com a sócia Angélica Freitas a marca de roupas Todos os Poemas, cujos produtos são vendidos em uma loja colaborativa. Este mês, peças das duas marcas terão espaço reservado no Dragão Fashion Brasil (DFB).

O público que Joana pretende atingir são mulheres a partir de 35 anos. “É um perfil de pessoas que tenham esse envolvimento cultural, essa ligação com o nosso artesanato. Porque, às vezes, quando se fala artesanato, parece ser uma coisa muito rústica. E não é. O artesanato é sofisticado.”

Hoje, a equipe é formada por dez pessoas, entre artesãs, cortador, acabadeira e costureira. “Quando eu comecei com artesanato aqui, era muito novo. Tem muitas frustrações, mas, acho que se fosse tão ruim, a gente não estava insistindo.” 

 

PLANOS PARA A MARCA

QUAIS FRUSTRAÇÕES VOCÊ PASSOU NA SUA CARREIRA?

Quando você é empregado, existem várias questões de você querer fazer alguma coisa e não pode porque é o dono que manda. Aqui, quando a gente começou tinha “Ah! Não vou comprar, porque é daqui”. Queriam só coisas de fora. Uma vez, eu vi uma palestra do Vitorino Campos, que é o estilista agora da Animale, e ele disse “Nossa. Quis desistir várias vezes, chorei várias vezes.” Que bom, porque na palestra é tudo maravilhoso, parece que eles vivem no país das maravilhas. E eu achei muito legal ele falar isso, de como é difícil. Você passa por momento que você está gastando e não está entrando dinheiro. Você passa por momentos que você faz um produto super legal, mas não se sente reconhecido. 

QUAIS SÃO OS DESAFIOS QUE VOCÊ ENFRENTA EM TER A SUA MARCA AUTORAL?

Hoje, o desafio é que a gente está em um momento muito bom.

Existem muitas marcas. Você tem que se diferenciar, tem que aparecer. Às vezes, o problema é administração. Às vezes, o problema é venda. O desafio é esse. De alguma forma, a gente tem que estar sempre se reinventando. As marcas têm que procurar novos parceiros. Esse espaço que a gente está hoje é um espaço de marcas colaborativas. A gente que administra, cuida, faz a programação. São oito marcas unidas para que todas deem certo.

Apesar do mercado autoral ter crescido muito, a gente continua concorrendo com grandes empresas. A gente compete com fast fashion, com as grandes marcas. Eu acho que o principal é isto: você se diferenciar.

 

QUAIS SÃO OS PRÓXIMOS PASSOS QUE VOCÊ PRETENDE DAR NA SUA CARREIRA?

Agora está super movimentado. A gente está com uma peça em Recife, que tem lá todo ano no RioMar. Abriu ontem, 2, e fica o mês inteiro. Todos Os Poemas e Jô de Paula estão lá. Em São Paulo, a Jô também vai participar de uma feira que se chama O Povo, que é no espaço Red Bull. E a gente vai estar, Todos Os Poemas e algumas peças da Jô, no Dragão Fashion Brasil na área de vendas. Para o segundo semestre, estamos querendo ir para feiras no Rio e em São Paulo. Porque a gente acha que, para as roupas e também para as bolsas, vai ser um mercado bem bacana. 

 

MULTIMÍDIA Confira o vídeo do Perfil Profissional em: https://bit.ly/2JPFFsD

 

LORENA MARCELLO