VERSÃO IMPRESSA

Alcance a meta antes de surtar

Não se pode fugir das metas, nem deixar de lidar com funcionários, chefes ou clientes. Saiba como tornar os processos mais suaves

01:30 | 14/05/2018
[FOTO1]

Enquanto comanda a gestão de funcionários da própria marca de moda praia, a empresária Andréa Kern, 41, tem que encontrar tempo para lidar com fornecedores e clientes. Mais ainda, exerce função de criação das peças. “Tenho que manter equilíbrio nas minhas tarefas para que elas tragam melhor resultado, se não trabalho muito e tenho pouco resultado”, explica. Os prazos e as responsabilidades do dia a dia, como de tantos trabalhadores, podem sobrecarregar, mas também se transformarem em trampolim profissional. Autoconhecimento e técnicas de motivação são alternativas.


Quando percebeu, em certo momento da vida, que estava perto de chegar ao limite, a empresária, que tem formação em Administração, aprofundou-se em coaching e até procurou consultoria de profissionais da área. “Por causa da liderança, me percebi muito ocupada, mas o resultado não vinha na proporção do tanto que eu trabalhava”.

[SAIBAMAIS]

A pressão no trabalho pode ser do tipo interna ou externa, no caso daquelas comuns a maioria das profissões, como as metas, entregas e a competição do mercado. É o que avalia o master coach e especialista em Gestão e Mentoria de Negócios, Jean Araújo, da Duo Training. “As empresas se sentem cada vez mais pressionadas a oferecer serviço de melhor qualidade, com custo baixo e qualidade alta. Essa concorrência faz com que as lideranças precisem de mais tempo de trabalho de seus colaboradores. Começa no mercado em si, passa pela diretoria e chega até os funcionários que ficam de frente com o público externo”.


Além disso, Jean lembra que nem todo mundo consegue investir na inteligência emocional necessária para fazer da pressão um catalisador positivo. Elas sofrem com a pressão interna, sem separar a obrigação no trabalho da vida pessoal. “Existem novos profissionais que já entram pressionados, 92% das empresas querem que os novos profissionais já tenham resultados em um ano, mas 35% em apenas seis meses. A gente considera um prazo curto, tem empresas que usam aqueles 90 dias de experiência também como uma pressão, algumas fazem entrevistas com 30 dias ou 45 dias para mensurar o desempenho do profissional, já é cultural essa pressão por resultados”.


Problemas de saúde ocasionados pela pressão profissional, inclusive, estão no segundo patamar de preocupação da medicina do trabalho, na opinião do vice-presidente da região Nordeste da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT), Glauber Paiva. “No primeiro, estão as doenças osteomusculares. O avanço tecnológico de maneira muito rápida, a informatização gera apreensão entre os empregados. A gente sente que muitos deles não acompanham”, acrescenta.


Somente quando passou a programar metas, Andréa entendeu a importância de equilibrar o trabalho com a vida pessoal. “Era zona de conforto cair no trabalho, mas para que tivesse sucesso de verdade tinha que estar com meus filhos. Eu quero ter excelência em todas as áreas”.


SINAIS DE DESGASTE EXCESSIVO NO TRABALHO

Cansaço, desânimo, insônia, desinteresse, diminuição de relação com os colegas, irritação, dores musculares, dificuldade de concentração

 

AMANDA ARAÚJO

TAGS