VERSÃO IMPRESSA

Marx no Enem

01:30 | 23/04/2018

ANDRÉ ROSA

HISTORIADOR

[FOTO1] 

Quando o alemão Karl Marx decidiu fazer uma ideologia crítica sobre o sistema capitalista, o resultado foi a criação de um modelo econômico chamado de socialismo científico, conhecido também de Marxismo. A crítica não partiu de um argumento vazio e desaforado, ele foi compreender bem sobre o sistema, utilizando-se da história, da sociologia, da economia e de outras ciências afins de conseguir entender primeiro que a desigualdade social era algo vindo do Período Pré-Histórico. Com o surgimento da propriedade privada e foram muitos os meios de produção desenvolvidos pelo o homem, como o asiático, o escravista, o feudal e o capitalista e que através da remuneração assalariada, da mais-valia, o processo geraria uma exploração sobre o trabalho e assim foi sendo percebido como o sistema era desigual e desonesto.


No ano do bicentenário de nascimento de Marx, tenha certeza que marxismo é cara de prova.

 

DICA DE FILME

 

O JOVEM KARL MARX

Aos 26 anos, Karl Marx (August Diehl) embarca para o exílio junto com sua esposa, Jenny (Vicky Krieps). Na Paris de 1844, ele conhece Friedrich Engels (Stefan Konarske), filho de um industrialista que investigou o nascimento da classe trabalhadora britânica. Dândi, Engels oferece ao jovem Marx a peça que faltava para completar a sua nova visão de mundo. Entre a censura e a repressão, os tumultos e as repressões políticas, eles liderarão o movimento operário em meio a era moderna

 

Confira vídeo sobre a trajetória de Karl Marx no Facebook do Empregos & Carreiras

 

TRAJETÓRIA

 

LINHA DO TEMPO

 

1818

Nasceu em Trèves, cidade ao sul da Prússia Renana em 5 de maio, com origem familiar judaica.

 

1830

Inicia seus estudos no Liceu Friedrich Wilhelm, da sua cidade. Nesse ano eclodiram revoluções em diversos países europeus, principalmente na França.

 

1835

Aos dezessete anos, escreve Reflexões de um jovem perante a escolha de sua profissão. Após, ingressou na Universidade de Bonn para estudar Direito; mas, já no ano seguinte, transferiu-se para a Universidade de Berlim, onde a influência de Hegel ainda era bastante sentida.

 

1841

Depois de certo tempo, desiste do Direito e obtém o título de doutor em Filosofia com a tese intitulada “Diferenças da filosofia da natureza em Demócrito e Epicuro”.

 

1848

Em Londres, é publicada a primeira edição do Manifesto comunista, considerada a obra de lançamento do socialismo científico para o mundo.

 

1865

A primeira redação do livro primeiro de O Capital é concluída. No mesmo ano, Marx escreve Salário, preço e lucro e uma biografia de Proudhon, militante anarquista francês com o qual polemizou em diversas ocasiões.

 

1871

Por ocasião da Comuna de Paris, Marx propõe orientações aos membros da AIT em França e escreve o panfleto A guerra civil na França.

 

1873

Marx envia exemplares do primeiro livro de O Capital a Charles Darwin e a Herbert Spencer. Recebe ordens médicas (que não obedeceu) de evitar qualquer tipo de trabalho devido ao agravamento de suas condições de saúde.

 

1881

Morre sua mulher, Jenny von Westphalen

 

1882

Morre sua filha mais velha

 

1883

Doente e deprimido, Marx morre em 14 de março de 1883, e seu corpo é sepultado no Cemitério de Highgate, em Londres

 

JÁ CAIU EM PROVA!


O conceito da economia marxista é definido pelo conjunto das forças produtivas e das relações de produção. O modo de produção se confunde, de certa maneira, com a estrutura econômica da sociedade, englobando a produção, distribuição, circulação e consumo. Louis Althusser entende o modo de produção como uma totalidade que articula a estrutura econômica, a estrutura político-jurídica (leis, Estado) e uma estrutura ideológica (ideias, costumes). Teoricamente, numa formação social concreta, podem estar presentes vários modos de produção, tendo um como dominante. Embora a questão da sucessividade histórica obrigatória dos modos de produção tenha dominado os estudos marxistas por muito tempo, ela não encontra respaldo teórico nas obras de Marx, e nem mesmo nas de Engels.


SANDRONI, Paulo. Verbete Modo de Produção. In:_Dicionário de Economia do Século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2005. p. 565-566

 

Após a leitura atenta do texto, assinale a alternativa em que aparecem listados, em ordem cronológica, os quatro mais importantes modos de produção da história da humanidade.

a) Escravista / Feudal / Asiático / Capitalista.


b) Capitalista / Feudal / Asiático / Escravista.


c) Feudal / Escravista / Capitalista / Asiático.


d) Asiático / Escravista / Feudal / Capitalista.


e) Asiático / Feudal / Escravista / Capitalista.


Comentário: Segundo a teoria marxista de sucessão dos modos de produção, o que aparece em primeiro lugar é o modo de produção asiático, situado nas sociedades do antigo oriente, sucedido pelo modo escravista, que aparece nas civilizações grega e romana, vindo logo após o modo feudal, que foi substituído pelo modo de produção capitalista.


PRATIQUE A REDAÇÃO


A produção textual na maioria dos vestibulares tem o estilo de uma dissertação-argumentativa e para que seu texto tenha a melhor pontuação, o desenvolvimento das ideias é uma necessidade crucial.


Com as histórias contadas, por que não fazer uma redação com esses temas?


• Reforma agrária: necessidade ou arbitrariedade?


• A importância de reduzir as diferenças sociais no Brasil


• A importância dos impostos para manutenção da nação


ARTE E INSPIRAÇÃO


A euforia tecnológica propagada pela Revolução Industrial marcou o século XIX como um período de ascensão de diversas áreas do conhecimento. Os assuntos de ordem científica e estética passaram a despertar o interesse de um grande público. Várias nações criaram instituições que buscavam o desenvolvimento de estudos em prol do progresso da ciência. Nesse mesmo período, o termo “cientista” foi cunhado e a obra “A origem das espécies”, de Charles Darwin, ganhou popularidade.


Na esfera artística, o individualismo e o ritmo frenético dos ambientes urbanos impulsionaram a criação de novos movimentos. O Romantismo criticava as mudanças da sociedade industrial e essas correntes mais contestadoras, na segunda metade do XIX, perderam espaço para o Parnasianismo, movimento pautava uma concepção de elogio ao belo, considerando que a arte seria um campo autônomo que não deveria se ocupar dos conflitos e horrores da condição humana.


Em contrapartida, a corrente Naturalista e Realista valorizavam as contradições das relações humanas e a reflexão do mundo vivido. Nesse mesmo período também se estabelece uma literatura engajada e fortemente influenciada pelo pensamento marxista.


Na França, o Art Nouveau valorizava a decoração arquitetônica com o uso de linhas sinuosas e inspiração em elementos da natureza.


A música nessa época também viveu grandes mudanças, com a predominância do romantismo na obra de Beethoven e Wagner começou a privilegiar a temática nacionalista.


O CAPITAL


A grande obra de Marx é O Capital, na qual trata de fazer uma extensa análise da sociedade capitalista. É predominantemente um livro de Economia Política, mas não só. Nesta obra monumental, Marx discorre desde a economia, até a sociedade, cultura, política, filosofia. É uma obra analítica, sintética, crítica, descritiva, científica, filosófica etc.


Em suma, a teoria de Marx indicava uma nova sociedade, na qual todos os homens tivessem as mesmas chances e possibilidades para desenvolver seu potencial de forma plena, em diferentes aspectos, fazendo do ser humano um ser integral.


MORTE


No funeral de Marx, o amigo Friedrich Engels declamou as seguintes palavras:


“Marx era, antes de tudo, um revolucionário. Sua verdadeira missão na vida era contribuir, de um modo ou de outro, para a derrubada da sociedade capitalista e das instituições estatais por esta suscitadas, contribuir para a libertação do proletariado moderno, que ele foi o primeiro a tornar consciente de sua posição e de suas necessidades, consciente das condições de sua emancipação. A luta era seu elemento. E ele lutou com uma tenacidade e um sucesso com quem poucos puderam rivalizar”.


MULTIMÍDIA


Confira uma entrevista feita a Karl Marx por suas filhas, entre os anos de 1860-1865. Felicidade, diz Marx, “é a luta”.


Acesse: https://bit.ly/2HOaXQS

 


GABRIELLE ZARANZA

TAGS