PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Vereadores elogiam Samuel Dias, mas evitam falar de 2020

Ele comandou evento de apresentação do maior pacote de obras da história de Fortaleza, conforme anunciado pela Prefeitura

03/07/2019 06:33:06
SAMUEL Dias ocupou a pasta da Infraestrutura no 1º mandato de RC antes de ir para a Segov
SAMUEL Dias ocupou a pasta da Infraestrutura no 1º mandato de RC antes de ir para a Segov (Foto: Mauri Melo/Mauri Melo)

Foi alvo de observação a atuação do titular da Secretaria de Governo (Segov) da Prefeitura de Fortaleza, Samuel Dias, na última segunda-feira, 1º, quando comandou apresentação de pacote de obras na ordem de R$ 1,5 bilhão, a serem executadas na Capital já em 2019, com prosseguimento em 2020.

Ele recebeu elogios e créditos pela vinda do recurso, pleiteado desde o primeiro mandato de Roberto Cláudio (PDT). O líder do grupo político que gere o Estado e a Capital, Ciro Gomes (PDT), afirmou que o secretário "é um quadro" e acrescentou: "estamos trabalhando permanentemente para treinar uma nova geração". Ele ainda citou presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Sarto (PDT).

Vereadores presentes avaliaram a dimensão política do que se passou no Teatro São José, local da apresentação do pacote. Líder do governo na Câmara Municipal, Ésio Feitosa (PDT) avaliou que Dias é um "nome valioso", mas ponderou que as chances de continuidade no comando do Paço Municipal se darão pela dedicação à Cidade, não pelo adiantamento de postulantes.

"O fato de o Samuel ter apresentado todo aquele conjunto foi muito mais questão administrativa do que sinalização politica", sustenta.

Feitosa define o secretário como um perfil discreto, além de objetivo na resolução de problemas ou demandas. Acrescentou ainda o que considera outra qualidade: "O Samuel, desde que ocupou a (Secretaria da) Infraestrutura, teve característica muito de colocar o pé na lama, ir na periferia. Ele mantém mesma característica na Segov."

Para Carlos Mesquita (Pros), o anúncio do pacote foi uma forma de o prefeito dizer que está forte e "no jogo" para fazer sucessor. "Ele (Dias) é um nome que o prefeito está colocando para apreciação interna, pelo menos".

Adail Júnior (PDT), por sua vez, avalia o secretário como profundo conhecedor da gestão municipal. Por isso, diz que o protagonismo dele no lançamento do pacote foi natural, sem desdobramentos políticos imediatos. Por outro lado, também diz: "se você me perguntar 'ele é um bom nome?' É. 'Sarto é?' É."

Samuel Dias prefere se distanciar do tema. Ao programa O POVO no Rádio, disse ontem que o assunto não é cabível, porque atrapalha a agenda administrativa. Assegura que não está nada nos planos.

Carlos Holanda