PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Oposição virou "clube dos governadores do Nordeste", ironiza Joice

Em agenda em Fortaleza, a deputada Joice Hasselmann voltou a cobrar empenho dos governadores para aprovação de reforma

02/07/2019 01:55:23
LÍDER do governo na Câmara, a deputada participou de evento organizado pela Fiec
LÍDER do governo na Câmara, a deputada participou de evento organizado pela Fiec (Foto: Deísa Garcêz/ Especial para O Povo/Deísa Garcêz/ Especial para O Povo)

Na véspera da leitura do relatório complementar da reforma da Previdência na Câmara, marcada para hoje, a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), voltou a criticar os governadores do Nordeste. Para ela, os gestores de oposição criaram "um clube" que ainda resiste à alteração no regime de aposentadorias.

Ouça entrevista da deputada à Rádio O POVO CBN

"Governador não tem voto em quase lugar nenhum do Brasil, mas no caso dos governadores é diferente", disse a parlamentar, em evento realizado ontem pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec). "Por quê? Porque são os partidos de oposição e eles se fecharam em um clube. É o clube dos governadores do Nordeste. É diferente."

Segundo a deputada, os chefes de Executivo da Região têm papel crucial na aprovação da inclusão de estados e municípios no texto em análise na comissão especial da Câmara. "Os governadores do Nordeste são importantes neste momento pra chamar as bancadas de deputados e dizer: se você não votar, você vai nos quebrar".

Embora tenha criticado os opositores da reforma e o consórcio formado entre gestores nordestinos, a parlamentar enfatizou que está atrás de todos os votos, incluindo os dos adversários. "Temos uma guerra para vencer, e todo voto é voto", declarou. "Não me interessa se o voto é pintado de verde, de vermelho, azul ou amarelo ou se tem bolinha roxa. Eu quero voto."

Nesta terça-feira, o relator Samuel Moreira (PSDB-SP) fará apresentação de um parecer complementar ao relatório já lido. O tucano deve alterar pontos com menor impacto fiscal. Feito isso, o documento é liberado para votação, que pode ocorrer ainda nesta semana.

Questionada se acredita que estados e municípios entrarão na reforma, Joice respondeu que ainda há chance, mas que ela é remota. "Estamos no momento derradeiro, é o tudo ou nada. Acho difícil, mas estamos tentando", avaliou.

Desde a última sexta-feira em Fortaleza, onde participou de agenda com empresários sobre a mudança no sistema de aposentadorias, a deputada admitiu que a única possibilidade de contemplar todos os entes da federação "seria, em plenário, votar o texto principal e aí, a depender dos votos que partidos de oposição entregarem, votarmos de forma destacada a inclusão".

A própria líder do governo reconhece, porém: "A situação não é das melhores, mas não é impossível. Tem chance de não passar? Tem. Ali (na Câmara), um espirro dá pneumonia. E todo mundo é muito sensível". A pesselista disse, contudo, que o propósito do presidente da comissão especial, Marcelo Ramos (PL-AM), é votar a proposta no colegiado ainda nesta semana.

Em Brasília para encontro de governadores com interlocutores do governo Bolsonaro, Camilo Santana (PT) rebateu as cobranças de Joice. "Não somos donos dos votos dos deputados", disse o petista. "O que a gente tem questionado é que muito dessa reforma não vai ajudar de certa forma o déficit previdenciário da aposentadoria pública dos Estados."

 

Henrique Araújo

TAGS