PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Movimentos convocam greve geral contra a reforma

| PARALISAÇÃO | Ato tem apoio de centrais sindicais e está previsto para ocorrer em todo o País. Comércios e bancos da Capital preveem parar atividades

14/06/2019 01:31:00
GOVERNO Bolsonaro já foi alvo de dois grandes protestos este ano contra cortes na educação
GOVERNO Bolsonaro já foi alvo de dois grandes protestos este ano contra cortes na educação (Foto: Fabio Lima/Fabio Lima)

As frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular convocaram trabalhadores de todo o País para realizar hoje greve geral contra, principalmente, a reforma da Previdência. O evento conta com o apoio de centrais sindicais, além de movimentos sociais e estudantis. Além da paralisação, diversas cidades pretendem realizar "marcha dos trabalhadores". Em Fortaleza, a concentração será na Praça da Bandeira, às 10h30min, e seguirá pelas ruas do Centro até a Praça do Ferreira.

Diversas entidades confirmaram participação na paralisação em Fortaleza. A orientação do Sindicato dos Comerciários é de que os estabelecimentos fechem as portas hoje, tanto por adesão à greve quanto por segurança devido à movimentação.

Listen to "#91 - A importância das greves gerais para a democracia" on Spreaker.

Os sindicatos dos professores da Universidade Federal do Ceará (Adufc-Sindicato) e da Universidade Estadual do Ceará (Sinduece), além do Sindicato dos Bancários (Seeb-CE) também participarão do ato.

Presidente do Seeb-CE, Carlos Eduardo Bezerra explica que também estão na pauta protestos contra a privatização de bancos públicos. Segundo ele, é esperado que os bancos participem da greve, o que pode resultar no fechamento de algumas agências. Ele indica para que as pessoas que se depararem com bancos fechados se orientem para formas alternativas dos serviços, como internet banking ou caixas eletrônicos.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado (Sindiônibus), o transporte coletivo de Fortaleza e Região Metropolitana vai operar normalmente. Ontem, em assembleia junto à central sindical, o Sintro decidiu se unir a outras entidades pelo Brasil em paralisação. Porém, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sintro) resolveu aderir à greve de hoje.

A Polícia Militar informou que estará a postos para garantir a segurança durante a marcha. "Iremos acompanhar (a marcha). Atuaremos apenas se houver violação da ordem pública", explicou o tenente-coronel Jano Emanuel Marinho, relações públicas da PM.

A previsão é que a greve ocorra em outras 57 cidades do Interior, segundo a Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Ceará (Fetamce) e a Central Única dos Trabalhadores do Ceará (CUT-CE). Além da reforma da Previdência, estão entre as pautas os cortes na educação e a defesa de direitos trabalhistas.

Nascelia Silva, presidente do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Fortaleza (Sindifort) e integrante da Frente Povo Sem Medo, ressalta a importância da participação da população ao movimento e à marcha, mesmo os que "votaram no atual governo". "É preciso que o povo vá para as ruas para mostrar que não aceita ter seus direitos retirados", afirma.

 

Natália Coelho

TAGS