PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Reunião numerosa seria pouco efetiva

23/05/2019 01:36:35

Parlamentares cearenses que não estiveram presentes no encontro entre a bancada nordestina e o presidente consideram que a reunião teve pouca efetividade para discutir os problemas da região, devido ao grande número de convidados para o café da manhã.

"Você não faz uma reunião com 150 deputados e 30 senadores, não faz uma reunião desse jeito", critica o deputado Eduardo Bismarck (PDT) que considera que o objetivo do encontro era de ser "um pronunciamento". "Se ele quisesse fazer uma reunião de trabalho, chamaria por partido ou por estado", aponta.

Célio Studart (PV) explica que não esteve no encontro porque está doente, mas concorda que o modelo proposto na reunião pelo governo federal foi o principal motivo da falta de adesão dos parlamentares nordestinos. "E um café amplo como esse, talvez se tenha percebido que não seria um momento que os parlamentares teriam fala", argumenta.

Para André Figueiredo (PDT), "o total descaso que o presidente tem demonstrado pela região" também influenciou na decisão de não participar. "O Nordeste continua recebendo tratamento discriminatória", concorda José Guimarães (PT).

Figueiredo afirma que, segundo relato dos parlamentares presentes, a reunião foi "uma perda de tempo". "Foi uma reunião sem futuro, sem perspectiva nenhuma", considera o petista. "Todos saíram de lá extremamente desanimados. Se saíssem animados, poderiam transmitir isso para a bancada", completa Bismarck.

Roberto Pessoa, que esteve no encontro, afirma que a não participação "mostra uma questão ideológica". "Quem não foi, eu só tenho a lamentar", finalizou Heitor Freire. 

Luana Barros