PUBLICIDADE
Jornal
Aliados

Diálogo entre Ciro e Tasso não altera cenário para 2020, diz Wagner

Para o deputado federal, a conversa entre Tasso Jereissati e Ciro Gomes se deve ao "espírito público" do tucano

07/03/2019 04:35:45
CAPITÃO WAGNER já disse que deve ser candidato à Prefeitura de Fortaleza em 2020
CAPITÃO WAGNER já disse que deve ser candidato à Prefeitura de Fortaleza em 2020

O encontro que o candidato derrotado à Presidência Ciro Gomes (PDT) disse ter tido com o senador Tasso Jereissati (PSDB) movimentou o ambiente político local. Com a eleição municipal em 2020, os efeitos da reaproximação repercutem entre aliados do tucano.

Já anunciado postulante à Prefeitura de Fortaleza, o deputado federal Capitão Wagner (Pros) minimizou a informação do encontro, dada por Ciro à rádio Tribuna Band News, no último dia 25 de fevereiro.

Para Wagner, a conversa entre os líderes não se traduzirá em qualquer aliança política para 2020. Fosse isso, diz, Tasso o teria avisado. Wagner opina ainda que tucano e pedetista conversaram em função do espírito público de Tasso e nada mais. Os líderes estão rompidos desde 2010, quando Cid Gomes (PDT) apoiou José Pimentel (PT) para o Senado.

Sobre composição de sua chapa na sucessão municipal, o deputado diz que o PSL de Jair Bolsonaro quer indicar candidatura à vice e diz considerar legítima a intenção. Tempo de TV e o crescimento da sigla com a eleição do presidente são dois dos motivos.

Questionado sobre a falta de afinidade entre Bolsonaro e Tasso, ele diz que isso não impactará o seu pleito, já que "tenho independência, não sou apadrinhado pelo Bolsonaro". Adicionou ainda que o desalinho de Tasso é em relação ao presidente, o que não se aplica aos aliados no Estado.

Em busca da alianças, o parlamentar disse ter conversado com o PSDB, com o Novo de Geraldo Luciano e com atual secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (STGES), Dra. Mayra Pinheiro (PSDB). Wagner já tem aliança firmada com Eduardo Girão, de quem foi padrinho na última eleição. Girão migrou para o Podemos.

O deputado federal Roberto Pessoa (PSDB) diz que, internamente, o pré-candidato do partido é o ex-deputado Carlos Matos (PSDB), que não se reelegeu. Ressalta que é importante o partido ter um nome que vá à disputa caso Wagner, por alguma razão, não participe. O nome de Wagner, afirmou Pessoa, é visto com muito bons olhos pelo partido.

Segundo interlocutor de Tasso, que falou sob condição de anonimato, a boa relação entre os grupos políticos está reposta do ponto de vista da amizade. Citou o apoio de Cid à candidatura de Tasso ao Senado e o empréstimo para a Prefeitura de Fortaleza, conseguido no Senado graças ao tucano. "Há uma admiração mútua entre os dois", disse sobre Ciro e Tasso. Longe, entretanto, de se refletir em aliança política.

Carlos Holanda