PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Moro cita planos para enfrentar a corrupção

01:30 | 09/11/2018

O juiz federal Sergio Moro, futuro ministro da Justiça e Segurança Pública no governo Jair Bolsonaro, afirmou ontem, 8, que já existem vários planos em gestação sobre combate à corrupção e crime organizado. Entre elas, Moro disse que vai aproveitar uma parte das propostas que constavam nas dez medidas contra a corrupção apresentadas ao Congresso por projeto popular.

 

"As eleições deixaram claro que há grande insatisfação da população com a segurança pública. Esse é um problema sério, difícil, que precisa ser equacionado. Em parte por medidas executivas, em parte por projeto de lei. É o momento propício para a apresentação de projetos legislativos. As dez medidas estão dentro desse radar", afirmou o juiz.

 

Na sequência, ele acrescentou que algumas das propostas "serão resgatadas e algumas talvez não sejam tão pertinentes agora quanto no passado e novas devem ser inseridas". Ao lado do atual ministro da Justiça, Torquato Jardim, Moro falou em dar "continuidade aos bons projetos que vêm sendo executados". "Não sou daqueles que assumem reclamando que existe herança maldita".

 

O futuro ministro disse que pretende propor medidas "fortes" e " simples", para serem aprovadas no curto prazo.

 

Um grupo com 154 procuradores, procuradores regionais e subprocuradores-gerais da República lançou ontem nota de apoio à indicação de Moro ao ministério. Os procuradores dizem que, ao abrir mão de seu cargo como magistrado, ele mostra "extraordinário desprendimento pessoal, em benefício do Brasil e dos interesses da sociedade".

Agência Estado